quarta-feira, 6 de dezembro de 2017
Trump declara reconhecer Jerusalém como a capital de Israel Foto: EFE/Jim Lo Scalzo
Presidente ignorou apelos da comunidade internacional, que teme pelo fim das negociações de paz na região.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, reconheceu oficialmente a cidade de Jerusalém como a capital de Israel, na tarde desta quarta-feira (6). Ignorando os alertas das comunidades internacionais, que temem pela frágil negociação de paz entre israelenses e palestinos, Trump anunciou também que vai transferir a embaixada dos EUA, situada em Tel Aviv, para antiga cidade sagrada.

– É hora de oficialmente reconhecer Jerusalém como capital de Israel. Israel é uma nação soberana com o mesmo direito de outras nações de determinar sua capital. Reconhecer isso é um passo para alcançar a paz. (…) É a capital do povo judeu e do governo moderno israelense – declarou o republicano.

Ainda em seu discurso, Trump afirmou que a mudança se trata de uma promessa de campanha. Ele também ressaltou que os Estados Unidos defendem a paz e a democracia na região.

– Jerusalém devem ser um lugar onde judeus, cristãos e muçulmanos rezam — afirmou Trump, estendendo-se aos palestinos. — Nossa missão é promover um acordo de paz entre os diferentes lados envolvidos. Quero fazer todo o possível para tal. (…) Os EUA irão apoiar uma solução de dois Estados se ambos os lados quiserem – afirmou o chefe de Estado.

Segundo Trump, Mike Pence, seu vice-presidente, visitará a região em breve. Em sua viagem, Pence vai apelar pelo fim do extremismo e pela retomada da paz entre israelenses e palestinos.

A comunidade palestina, maior afetada pela decisão dos EUA, convocou três dias de protestos pela mudança no status geopolítico da região. Em nota, o líder do Hamas, Ismail Haniyeh afirmou que “o reconhecimento do governo americano de Jerusalém ocupada como a capital da ocupação e a transferência da embaixada para Jerusalém ultrapassam todas as linhas vermelhas”. Já o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, disse durante entrevista na televisão, que “Jerusalém é uma linha vermelha para os muçulmanos”.

O governo de Israel, aliado aos EUA, se negou a comentar a decisão.

0 comentários:

Postar um comentário

Rádio Timbira

banner: radio timbira

Facebook

Contato

Whatsapp: 98-988916524

E-mail: folhadomunicipio@hotmail.com

Blogroll