quarta-feira, 11 de janeiro de 2017
Sem circular pela cidade há alguns meses, o periódico mensal Folha do Município, que tem como editor-chefe e fundador, o jornalista Nonato Aguiar, volta às ruas nesta quinta-feira (12).
Em sua edição de retorno, o impresso trás como destaques: A eleição de Beka Rodrigues à presidência da Câmara Municipal e os primeiros passos da gestão, Talita Laci (PCdoB).
Essa é a nova edição do Jornal Folha do Município (impresso), mês de janeiro de 2017. Nosso Jornal vai circular a partir desta quinta-feira(12/01) na região metropolitana de São Luís, Paço do Lumiar, São José de Ribamar e Raposa-MA. 
O líder indígena Darlan Guajajara de Sousa, o “Aleijadinho”, foi preso hoje (11) pela Polícia Civil acusado de manter em sua aldeia mais de 2.300 kg de maconha.
Ele é suspeito de comandar uma rede de tráfico de drogas, de receptação de veículos roubados e de corrupção de menores na cidade de Jenipapo dos Vieiras, principalmente na Aldeia Felipe Boner, conde é a principal liderança.
A operação de prisão e de apreensão da droga ocorreu por intermédio da 15ª Delegacia Regional de Barra do Corda, coordenada pelo delegado Regional Renilto Ferreira, em conjunto com a Polícia Militar.
Além do cacique da aldeia, foram presos, ainda: Jacilene Guajajara de Sousa, Licinha Carvalho Guajajara de Sousa, Laide Carvalho Guajajara de Sousa, Erivan de Sousa Carvalho Guajajara, Ezequiel Carlos Atanazio Guajajara, e Elizaldo de Sousa Carvalho Guajajara.
Além da maconha, os policiais apreenderam três veículos, entre eles uma SW4, do cacique; cinco armas de fogo; duas prensas artesanais para embalar o entorpecente; balanças utilizadas nos crimes e demais objetos suspeitos.

A Ouvidoria estará apta a repassar todas as informações pertinentes ao ‘Bolsa Escola’ por meio do telefone 0800 098 1656
O Governo do Maranhão vai disponibilizar, a partir desta terça (10), o recurso para os beneficiários do Programa Bolsa Escola, referente à segunda etapa da ação. Cerca de 1 milhão de famílias contempladas pelo programa na primeira etapa, realizada no ano passado, terão depositado em suas contas o auxílio no valor de R$ 51,00 por filho matriculado regularmente em escola pública, para uso exclusivo na compra de materiais escolares. A coordenação do Bolsa Escola é de responsabilidade da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Social (Sedes).

Recursos da ordem de aproximadamente R$ 59,2 milhões estão sendo investidos pelo Governo do Estado para execução da segunda etapa do programa, ou seja, uma média de R$ 14 milhões a mais que o valor aplicado no ano passado, quando foram alocados R$ 45 milhões para o desenvolvimento da ação.

Segundo o titular da Sedes, Neto Evangelista, somente os beneficiários que continuam atendendo aos critérios estabelecidos Bolsa Escola receberão o auxílio nessa segunda etapa do programa. Entre os critérios estão a exigência de ser beneficiário do Programa Bolsa Família, ter entre 4 e 17 anos e ser aluno regularmente matriculado em escola pública. Caso um desses itens não atenderem mais ao que termina os termos do projeto, o participante deixará de receber o benefício. O secretário informa, ainda, que os cartões magnéticos enviados aos beneficiários no ano passado continuam valendo para a compra dos produtos na etapa atual.

Ainda conforme Neto Evangelista, mais 110 mil novos beneficiários passam a receber o auxílio nesta segunda etapa do programa Bolsa Escola (Mais Bolsa Família). Entretanto, os cartões magnéticos que dão acesso ao benefício aos novos usuários passarão a ser entregues somente após a assinatura do Termo de Pactuação que será firmado entre o Governo do Estado e as Prefeituras Municipais, em solenidade a ser realizada ainda este mês. O Termo repassa aos Municípios, por meio dos Centros de Referência de Assistência Social (Cras), a responsabilidade pela entrega dos cartões.

Além de atribuir à Administração Municipal essa responsabilidade, a gestão compartilhada proposta pelo Termo de Pactuação estabelecerá outras ações de colaboração mútua na execução do Bolsa Escola (Mais Bolsa Família), com o objetivo de promover melhorias à implementação do programa, envolver a gestão municipal no processo de desenvolvimento da ação e garantir maior proximidade entre a população usuária do benefício e a Coordenação Estadual do programa, desenvolvida pela Sedes.

“É um programa de grande alcance social que já começou grande. O primeiro ano de implementação foi importante para verificarmos todo o andamento do processo, os entraves, os pontos positivos e negativos e, dessa forma, buscar os melhores caminhos para sua plena execução. Nessa segunda etapa, o Governo do Maranhão busca aperfeiçoar ainda mais a ação, cercando-se de todo o aparato possível para que o benefício chegue de fato a todos as crianças e adolescentes contemplados pelo programa”, afirmou Neto Evangelista.

Entre as ferramentas que serão utilizadas pelo Governo do Estado para agilizar e facilitar o processo de recebimento do auxilio pelos beneficiários estão a reinstalação da Ouvidoria, que estará apta a repassar todas as informações pertinentes ao ‘Bolsa Escola’, por meio do telefone 0800 098 1656; e a participação do Procon na execução do  programa. O órgão de Defesa do Consumidor passará a acompanhar todo o processo de execução do programa, para coibir práticas de preços abusivos de materiais escolares, nos estabelecimentos comerciais credenciados à venda dos produtos, e, também, impedir possíveis ocorrências de retenção dos cartões magnéticos pelos comerciantes.

Estabelecimentos
Este ano, o Estado credenciou 1.413 estabelecimentos comerciais para realizarem a venda dos materiais escolares contemplados pelo programa, em todo o Maranhão. O número é aproximadamente 69% a mais que no ano passado, quando foram habilitados 843 comércios para efetuar a venda dos produtos.

Há 25 anos no ramo, Juarez Moraes de Sousa Filho, comerciante em Pinheiro explica porque o interesse em vender para os Beneficiários do Bolsa Escola. “Minha loja estava para fechar, as contas todas atrasadas, no meio de uma crise, quando começaram a chegar os pais dos alunos e comprar o material. Tive que reabastecer o estoque e a loja ficou tão bem que as marcas começaram a mandar representantes, pudemos conseguir materiais em melhores condições. O programa foi extraordinário”, explicou.

Além do comércio de seu Juarez, é possível acessar a lista completa dos estabelecimentos credenciados no site do programa, no endereço: http://www.bolsaescola.sedes.ma.gov.br

O Programa Bolsa Escola, iniciativa do Governo do Estado, consiste na transferência direta de recursos para aquisição de material escolar às famílias beneficiadas pelo Programa Bolsa Família, que tenham em sua composição crianças e adolescentes com idade entre 4 e 17 anos, regularmente matriculados em escolas públicas.

A ação, além proporcionar mais dignidade aos alunos da rede pública, que passam a obter produtos escolares que não teriam condições de obter, contribui ainda para redução da evasão escolar e a melhoraria das condições de aprendizagem dos alunos de escolas públicas que estejam em situação de extrema pobreza.

A transferência do recurso é feita pelo Governo do Estado, em parcela única anual, paga no início de cada ano. A compra do material escolar é realizada pelos beneficiários por meio de cartão magnético fornecido ao responsável familiar de cada criança e adolescente. Entre os materiais que podem ser adquiridos estão mochila, lápis, caneta, borracha, régua, cadernos e similares, livros paradidáticos indicados pela escola, uniforme, tênis, meias, calças, bermudas, camisas e camisetas, entre outros produtos compreendidos pelo conceito de material escolar.

O valor do repasse também foi acrescido de R$ 46,00 para R$ 51,00 por filho matriculado regularmente em escola pública. Podem ser adquiridos todos os produtos com finalidade escolar.
Quito, 10 jan (EFE).- Um terremoto de magnitude 5,2 na escala aberta de Richter foi registrado na terça-feira na província litorânea de Esmeraldas, no noroeste do Equador, sem que até o momento tenha informações sobre vítimas ou danos materiais.

O Instituto Geofísico da Escola Politécnica Nacional disse que o tremor ocorreu às 21h36 (hora local) e foi localizado perto da cidade costeira de Muisne (no sul de Esmeraldas), uma das mais afetadas pelo terremoto de 7,8 graus de magnitude que atingiu esta região em abril do ano passado.

O terremoto foi localizado cerca de 3 quilômetros de profundidade e foi sentido em várias regiões do país como em Quito e Guayaquil, onde foram leve, e Santo Domingo e Quinindé, com mais intensidade.

Por enquanto, não existe informações se o tremor deixou vítimas ou danos materiais, enquanto o Instituto Oceanográfico da Marinha afirmou que o terremoto não reúne as condições necessárias para gerar um tsunami no litoral do país. 

Contatos

Whatsapp: 98-988916524


E-mail: folhadomunicipio@hotmail.com

Facebook

Rádio Timbira

banner: radio timbira

Navigation