sexta-feira, 2 de junho de 2017
O ex-presidente da estatal Valec Engenharia, Construções e Ferrovias José Francisco das Neves, conhecido como Juquinha, foi preso preventivamente na manhã de hoje (2), em Goiânia, pela  (PF). A prisão foi determinada pela 11ª Vara da Justiça Federal da capital de Goiás, que acatou pedido do Ministério Publico Federal (MPF).
De acordo com informações do MPF, um dos principais alvos da Operação De Volta aos Trilhos, o ex-presidente da Valec teve o primeiro pedido de prisão preventiva negado no último dia 25 de maio, quando foi deflagrada a operação.
“Naquela ocasião, a Justiça Federal entendeu que ainda não havia elementos que justificassem a custódia cautelar de José das Neves, suspeito de lavagem de dinheiro oriundo de propina relacionada às obras de construção da Ferrovia Norte-Sul.”
O novo pedido de prisão baseou-se nos depoimentos prestados por Fábio Júnio Santos Pereira e Mário Césio Ribeiro, que foram conduzidos coercitivamente durante a ação da Operação de Volta aos Trilhos. “Ouvidos pela Polícia Federal, os dois teriam confirmado o envolvimento direto de Juquinha em todos os atos de lavagem de dinheiro”, diz a nota do MPF.
Na manhã desta sexta-feira (02), representantes do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão e do sindicato patronal, se reuniram na Superintendência Regional do Trabalho e Emprego. A intenção foi mediar as negociações, na tentativa de proporcionar um acordo entre as partes. Mais uma vez, trabalhadores e patrões não chegaram a um entendimento.
Apesar disto, ficou acordada nova rodada de negociação e os ônibus não irão parar na segunda-feira (5). Os Rodoviários reivindicam reajuste salarial de 13%, enquanto que os empresários oferecem aumento de apenas 2,5%. Ao final do encontro a Superintendente do Trabalho e Emprego no Maranhão, Lea Cristina, marcou uma nova mediação para segunda-feira (5), às 14 horas e solicitou a suspensão do movimento grevista, até a realização deste novo encontro. O pedido foi acatado pelos Rodoviários.
O Sindicato dos Rodoviários já havia sido notificado pelo Tribunal Regional do Trabalho do Maranhão, nesta quinta-feira (01), a manter pelo menos, 60% da frota de ônibus circulando na capital, caso fosse deflagrada a greve dos trabalhadores que atuam no transporte público de São Luís, na próxima segunda-feira (05). Se a determinação da justiça não fosse cumprida, a entidade teria que pagar multa de mil reais por cada hora que durasse o movimento.
O presidente do Sindicato dos Rodoviários, Isaías Castelo Branco, ressalta que não se chegue a um acordo, os rodoviários poderão cruzar os braços. “Suspendemos o movimento grevista, até que esse novo encontro aconteça, mas se percebermos que de maneira alguma, haverá acordo através da conversa, os Rodoviários cruzarão sim, os braços”, avaliou.
60% dos ônibus devem rodar durante a greve, garante desembargadora.

Pelo menos 60% da frota de ônibus em São Luís deverá rodar caso seja confirmada a greve da segunda-feira (5), é o que determina a decisão da desembargadora federal do trabalho Márcia Andrea Farias da Silva, expedida nesta hoje (1º). Ela também determinou que a circulação de parte dos ônibus deve ser mantida até o efetivo fim da greve.
Trata-se de liminar de tutela provisória de urgência, que foi ajuizada pelo Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) em contraponto ao posicionamento do Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviário do Estado do Maranhão (STTREMA), que confirmou greve para a próxima semana, caso as negociações de reajuste de salário não avancem.
Segundo o documento, a magistrada coibiu ainda as medidas de protesto alternativo como “operação catraca livre”, “operação tartaruga e “operação piquete”. Em caso de descumprimento da decisão, funcionários que não comparecerem ao expediente de trabalho sofrerão desconto salarial e o sindicato está sujeito a pena de aplicação de multa de R$ 1 mil por hora.
Greve
Após assembleias realizadas nesta segunda-feira (29), os rodoviários decidiram que, caso as negociações de reajuste não avancem, será deflagada greve na capital a partir das 0h próxima segunda-feira (5).
O Sindicato dos Rodoviários está exigindo, entre outros itens, reajuste salarial de 13% e aumento do ticket alimentação dos atuais R$ 490 para R$ 650, para os trabalhadores que atuam no setor urbano. Até o momento, a categoria recebeu apenas uma contraproposta, de que o salário seja reajustado em 2,5%.

Rádio Timbira

banner: radio timbira

Contatos

Whatsapp: 98-988916524


E-mail: folhadomunicipio@hotmail.com

Facebook

Navigation