quarta-feira, 28 de junho de 2017
RUAN MODA MASCULINA - Nesta quinta-feira(29), dia do pescador, estaremos funcionando em caráter festivo. 
Excepcionalmente o dia todo... 
Sem intervalo pra almoço. 
Avenida Principal, Centro Raposa - MA De frente da Escola, U.I. Sarney Filho 
Preço a partir de R$20,00 
Falar com nosso amigo Renatho Câmara
Prefeita do município de Raposa, Talita Laci.
Servidores da Prefeitura de Raposa terão um São Pedro mais gordo este ano. A prefeita Talita Laci (PCdoB) autorizou o pagamento, nesta quarta-feira (28), dos salários de todos os servidores públicos municipais. 
A gestora também mandou pagar a primeira parcela do 13º salário, que já foi depositado nas contas dos servidores efetivos. Para a chefe do executivo, a antecipação dos pagamentos representa uma injeção de recursos na economia do município. 
“Nestes seis meses, a nossa gestão conseguiu trabalhar com escassez de recursos, dada ainda as consequências da crise econômica, mas com planejamento temos conseguido utilizar o dinheiro do povo dentro do que é prioridade, uma destas é o salário dos nossos servidores,” disse a prefeita que aproveitou a oportunidade para convidar visitantes e raposenses para a 41ª Festa do Pescador, realizada durante toda esta quinta-feira, dia 29.
Foram presos preventivamente, na manhã desta quarta-feira, 28, no município de Açailândia, o delegado da Polícia Civil Thiago Gardon Filippini, a escrivã Silvya Helena Alves, o investigador Glauber Santos da Costa, o carcereiro Mauri Celio da Costa Silva e o advogado Eric Nascimento Carosi. Eles são suspeitos de compor uma organização criminosa e das práticas dos crimes de concussão e corrupção passiva. Os presos já se encontram em São Luís.
Consta nos autos que os envolvidos cobravam dinheiro para livrar cidadãos da prisão em flagrante. Em algumas situações, o conduzido havia sido, de fato, surpreendido cometendo alguma prática ilegal. Em outras, a prisão em flagrante era forjada pelos envolvidos.
A prisão preventiva foi solicitada por meio de parecer da promotora de justiça Camila Gaspar Leite, da Comarca de Açailândia. Decretou a prisão o juiz Francisco Ronaldo Maciel Oliveira.
Os envolvidos Thiago Gardon Filippini, Silvya Helena Alves e Glauber Santos da Costa também tiveram suspensos o porte de arma de fogo e o exercício da função pública.
MODUS OPERANDI
Pessoas que estavam em situação de flagrante eram conduzidas até a delegacia pelo investigador Glauber da Costa e pelo carcereiro Mauri Celio Silva. No local, o delegado Thiago Filippini dava ou não a autorização para a cobrança de propina. Quando havia permissão, Silvya Alves e Glauber da Costa contactavam o advogado Eric Carosi, que se apresentava ao conduzido e intermediava o acordo com o delegado. Os valores eram divididos entre os suspeitos do crime.
Vítima foi levada como refém nesse veículo.
Uma jovem que foi sequestrada pelo ex-namorado e mantida refém em um motel de São Luís foi resgatada pela polícia na madrugada desta quarta-feira (28). A operação contou com a participação de equipes da Polícia Militar e dois delegados que fizeram a negociação de liberação da vítima.
O sequestro teve inicio por volta das 20h de terça-feira (27) no bairro do Maiobão. Cássio de Oliveira Silva, 32 anos, surpreendeu Ilza Cristina de Jesus Silva, 24 anos, e o atual namorado dela quando eles chegavam a casa da vítima. Armado com um revólver, o suspeito a obrigou a entrar no próprio veículo, usado na fuga.
carteira
O atual namorado Carlos Eduardo Silva Ferreira acionou a polícia e as buscas pelo suspeito foram iniciadas com rondas ostensivas e uso da rede de videomonitoramento. O paradeiro do suspeito foi descoberto durante a madrugada, em uma suíte sadomasoquista de um motel no bairro Turu, onde Cássio optou em manter a ex-namorada como refém sob constante ameaça.
Ao ser preso, o rapaz disse aos policiais que sequestrou e agrediu a jovem por não aceitar o término do relacionamento. “Ele conviveu com ela por sete anos e não aceitava o fim de relacionamento. Ao saber que ela estava com outra pessoa ficou transtornado, adquiriu uma arma de fogo e cometeu o delito” afirmou.
Apesar das alegações, o jovem foi autuado em flagrante pelos crimes de sequestro e cárcere privado, porte ilegal de arma, ameaça de morte. Segundo o delegado Carlos Alberto Damasceno, se condenado, ele pode pegar até nove anos e meio de prisão.
Do G1,MA
Procurador-geral da República afirma que seu ex-assessor Marcelo Miller não negociou delação da JBS.

Julia Affonso, Fábio Serapião e Fausto Macedo

O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, reagiu ao pronunciamento do presidente Michel Temer nesta terça-feira, 27. Janot afirmou que o ex-procurador da Operação Lava Jato Marcelo Miller não participou da negociação do acordo de delação premiada dos executivos da J&F, controladora da JBS.
Na tarde desta terça, Michel Temer citou o ex-procurador Marcelo Miller como alguém que “ganhou milhões em poucos meses” após deixar a força-tarefa e ingressar em escritório de advocacia que negociou a delação dos executivos da J&F. Temer levantou a suspeita de que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, se beneficiou financeiramente da remuneração de Miller, mas negou, no entanto, que estivesse fazendo uma ilação.
Michel Temer e seu ex-assessor especial Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) foram denunciados por Janot por corrupção passiva. Segundo o Ministério Público Federal, a acusação é baseada em ‘fartos elementos de prova’.
Em nota, a Procuradoria-Geral da República afirmou que o ex-procurador da República e hoje advogado Marcello Miller integrou a Assessoria Criminal de Janot de setembro de 2013 a maio de 2015.
“De maio de 2015 a julho de 2016, ele foi designado para integrar o Grupo de Trabalho da Operação Lava Jato na Procuradoria-Geral da República, em Brasília. A partir de 4 de julho de 2016, ele voltou a ser lotado na PR/RJ, com processos distribuídos ao seu ofício, atuando junto ao Grupo de Trabalho somente como membro colaborador. Ele solicitou exoneração do cargo de procurador da República em 23 de fevereiro de 2017, a qual foi efetivada em 5 de abril de 2017”, diz a nota.
A manifestação do Ministério Público Federal aponta ainda que a denúncia contra Temer é ‘baseada em fartos elementos de prova’
“Laudos da Polícia Federal, relatórios circunstanciados, registro de voos, contratos, depoimentos, gravações ambientais, imagens, vídeos, certidões, entre outros documentos, que não deixam dúvida quanto à materialidade e a autoria do crime de corrupção passiva”, afirma a Procuradoria. “A peça foi submetida à análise do Supremo Tribunal Federal e seguirá o trâmite previsto na Constituição Federal.”

VEJA A ÍNTEGRA DA MANIFESTAÇÃO

Nota de esclarecimento sobre denúncia contra o presidente da República

A denúncia apresentada pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, contra o presidente da República, Michel Temer, nessa segunda-feira, 26 de junho, é pública e baseada em fartos elementos de prova, tais como laudos da Polícia Federal, relatórios circunstanciados, registro de voos, contratos, depoimentos, gravações ambientais, imagens, vídeos, certidões, entre outros documentos, que não deixam dúvida quanto à materialidade e a autoria do crime de corrupção passiva. A peça foi submetida à análise do Supremo Tribunal Federal e seguirá o trâmite previsto na Constituição Federal.

O procurador-geral da República pauta-se por uma atuação técnica, no estrito rigor da lei, tanto na esfera judicial quanto na administrativa, e não se furta em cumprir as responsabilidades inerentes ao exercício do ofício. Rodrigo Janot cumpre à risca o comando constitucional de que ninguém está acima da lei ou fora do seu alcance, cuja transgressão requer o pleno funcionamento das instituições para buscar as devidas punições. Se assim não fosse, não haveria um Estado Democrático de Direito.

Sobre o ex-procurador da República e hoje advogado Marcello Miller, a Procuradoria-Geral da República esclarece que ele não participou das negociações do acordo de colaboração premiada dos executivos do Grupo J&F. Ele integrou a Assessoria Criminal do procurador-geral da República de setembro de 2013 a maio de 2015. De maio de 2015 a julho de 2016, ele foi designado para integrar o Grupo de Trabalho da Operação Lava Jato na PGR, em Brasília. A partir de 4 de julho de 2016, ele voltou a ser lotado na PR/RJ, com processos distribuídos ao seu ofício, atuando junto ao Grupo de Trabalho somente como membro colaborador. Ele solicitou exoneração do cargo de procurador da República em 23 de fevereiro de 2017, a qual foi efetivada em 5 de abril de 2017.

O procurador-geral da República reafirma o compromisso do trabalho realizado como chefe do Ministério Público da União com o propósito de garantir a probidade, a transparência e a responsabilidade no trato da coisa pública.

Ex-ginasta Daiane dos Santos esteve no Palácio dos Leões nesta terça-feira (27)
Em passagem pelo Maranhão, a ex-ginasta Daiane dos Santos esteve com o governador Flávio Dino, na tarde de terça-feira (27), no Palácio do Leões. Durante o encontro, a ex-atleta apresentou o governador o projeto ‘Brasileirinhos’, que já vem transformando a vida de centenas de crianças e adolescentes em outros estados, através da oferta de aulas gratuitas de ginástica artística e agora deverá ser trazido para o estado. 

Mais uma forma de incentivar o esporte e melhorar a vida de crianças e adolescentes mais fragilizados. “Tivemos uma reunião muito boa com Daiane e ela está trazendo para cá um projeto para o ‘Brasileirinhos’, que é voltado para a ginástica. 

Então, através da prática do esporte, motivamos nossas crianças e adolescentes das escolas públicas da rede estadual e também levaremos às escolas municipais”, pontou o governador. 

O projeto social esportivo, segundo a Daine, pretende iniciar os meninos e meninas na Ginastica Artística, mas também formar cidadãos, fortalecendo conceitos de responsabilidade social, autoestima e confiança. 

Dino discutiu com Daiane implantação de projeto
para ofertar aulas de ginástica gratuitas a maranhenses.
Dino discutiu com Daiane implantação de projeto para ofertar aulas de ginástica gratuitas a maranhenses. “A gente veio a pedido do Governo do Estado para apresentar o projeto, que já vem sendo aplicado em São Paulo, atendendo 400 crianças, de 6 a 14 anos. Aqui, faríamos o atendimento com crianças de 6 a 16 anos e acho isso muito positivo. A ginástica tem trazido grandes retornos de medalha e mais ainda de transformação social, que é o objetivo do projeto”, explicou a ex-atleta. 

O secretário de Estado de Esporte e Lazer, Márcio Jardim, esteve presente no encontro e destacou a importância de impulsionar esta modalidade no Maranhão. “Temos resgatado a ginástica no Maranhão a partir dos jogos escolares, que voltou a ter muita força. 

A ginástica no Maranhão não tem muita tradição, mas recentemente entregamos um ginásio da ginastica que é o Rubem Goulart, que há uma década estava fechado, e, naturalmente, que isso gera uma demanda por novos atletas e acolhemos esse projeto apresentado pela Daiane dos Santos, que já vem sendo desenvolvido em outras partes do país e que trabalha conceitos, a formação da cidadania e outras dimensões para além do esporte para esses alunos”, pontuou o secretário.
O vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, candidato mais votado para integrar lista tríplice (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Lista tríplice será enviada a Michel Temer. Também foram escolhidos Raquel Dodge e Mario Bonsaglia; mandato de Janot termina em setembro.
Irmão do governador do Maranhão, Flávio Dino (PC do B), o atual vice-procurador-geral eleitoral, Nicolao Dino, foi o nome mais votado para integrar a lista tríplice com sugestões do Ministério Público Federal para o cargo de procurador-geral da República (PRG). O mandato do atual procurador-geral, Rodrigo Janot, termina em setembro. 

Na votação, realizada nesta terça-feira (27), Dino recebeu 621 dos 1.108 votos dos procuradores do MPF. A lista será enviada pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) para o presidente Michel Temer, a quem cabe a palavra final de definir o substituto de Janot. Desde o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, apesar de não ser obrigado, o presidente indica para o cargo o nome mais votado da lista. 

O procurador foi seguido por Raquel Dodge (587) e Mario Luiz Bonsaglia (564), que serão os outros dois nomes a integrar a lista tríplice. Foram vencidos na votação os procuradores Ela Wiecko (424 votos), Frederico Santos (221 votos), Eitel Pereira (120 votos), Sandra Cureau (88 votos) e Franklin Rodrigues da Costa (85 votos). Temer não é obrigado a escolher um nome da lista tríplice. No entanto, em maio de 2016, quando assumiu a Presidência da República, ele disse que manteria a tradição de escolher o nome mais votado na lista tríplice. 

Nas últimas semanas, porém, aliados passaram a aconselhar Temer a não escolher o primeiro lugar ou até mesmo a escolher um nome de fora da lista. Isso porque, como o presidente é alvo de investigações e de uma denúncia feita pela procuradoria, um nome ligado a Janot, segundo os aliados de Temer, poderia ser prejudicial ao Planalto. 

A possibilidade de Temer indicar um procurador que não estiver na lista tríplice tem preocupado integrantes do Ministério Público. Eles avaliam que isso pode ferir a independência do órgão.

Contatos

Whatsapp: 98-988916524


E-mail: folhadomunicipio@hotmail.com

Facebook

Rádio Timbira

banner: radio timbira

Navigation