segunda-feira, 11 de dezembro de 2017
O Estado é o segundo estado com maior número de obras paralisadas, ao todo são 7.430 casas em abandono; Obras estão paradas outros 19 estados. Paralisação afeta 40 mil famílias que vivem a expectativa de realizar o sonho da casa própria. 
– ASSISTA O VÍDEO:
ASCOM/SJR - Fotos: Willian Tindale
O prefeito de São José de Ribamar, Luis Fernando Silva, participou no último sábado (09) do encerramento do curso de filetagem da carne de pescado para piscicultores e pescadores do município, oferecido pela prefeitura, através da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (SEMAGRI), em parceria com o SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural).

O objetivo do curso, realizado na Casa da Marisqueira, é de capacitar os produtores a agregar valor ao pescado, por meio de várias técnicas de preparo e processamento para o melhor aproveitamento da carne, fomentando a renda dos produtores e movimentando e economia local.

Muito feliz com o resultado do curso, o prefeito Luis Fernando parabenizou os alunos, agradeceu pela parceria com o SENAR e ressaltou as iniciativas da sua gestão em favor das políticas públicas em prol da melhoria da renda dos piscicultores e pescadores.

“Quando retornamos à prefeitura encontramos a Casa da Marisqueira fechada e com seus equipamentos destruídos. Uma das nossas primeiras determinações foi no sentido de reabrir este importante aparelho público inaugurado na nossa primeira gestão, e colocar os equipamentos para funcionar novamente. E hoje estamos aqui com esta máquina de filetagem funcionando e servindo aos nossos produtores nesse processo de aprendizagem que com certeza vai ser ampliado não só para quem está fazendo o curso, mas todos os demais membros da família que ajudam os pescadores e piscicultores”, destacou o prefeito. 

Ele completou ainda que “a prefeitura está cumprindo seu papel, levando aos ribamarenses qualificação e oportunizando a geração de renda. Um curso na área da culinária, que é esse de Processamento de Carne de Peixe, traz novas oportunidades numa área que ainda é pouco explorada e que possui tantas possibilidades. O curso trouxe inovações, como a carne de hambúrguer e recheios de peixe. Queremos ampliar essas parcerias para que possamos sempre levar ao maior número de pessoas cursos de qualificação como esse”.
Para um dos participantes, a experiência e o conhecimento adquirido será de grande valia. “Quando vim para o curso não sabia da proporção de onde a gente poderia chegar. Ter uma qualificação para poder processar o filé do peixe e transformá-lo nessas variedades de produtos para vendermos no mercado, isso vale muito, acrescenta muito na nossa vida e na vida das nossas famílias”, comentou Kellson Roberto Lima.

Ministrante do curso, a professora Ocilene Maria Correia, doutora em engenharia e ciência de alimentos, comemorou os resultados. "Os participantes puderam conhecer as técnicas de processar todo peixe, não só do filé. O objetivo foi proporcionar aos nossos produtores a familiarização com as tecnologias de processamento da carne de peixe, onde os participantes do evento experimentaram todos os produtos produzidos, durante o curso, através do processamento da carne do peixe", afirmou.

Além do prefeito Luis Fernando, marcaram presença no encerramento do curso, o vice-prefeito Eudes Sampaio, o reitor do IFMA, Professor Torreão, o líder do governo, vereador Cristiano Pinheiro, o secretário Isaque Buarque (SEMAGRI), além de lideranças e moradores da comunidade.
Para fazer o conserto, é necessário esvaziar o sistema, o que provoca interrupção temporária no abastecimento de água nos 159 bairros atendidos pelo Sistema Italuís.
Iniciada ainda no ano 2000, na gestão da ex-governadora Roseana Sarney, a obra da nova adutora do Sistema Italuís é o símbolo das irregularidades que marcaram os 50 anos de regime oligárquico no Maranhão. Suspeitas de superfaturamento e corrupção paralisaram a ação por mais de 10 anos, após relatório do Tribunal de Contas da União (TCU) atestar várias imprecisões.
Em 2015, após assumir o governo, Flávio Dino tinha um grande desafio pela frente: concluir a nova adutora do Italuís. Após anos de corrupção e irregularidades, seria um desafio herdar uma obra que estava cheia de erros tanto na parte estrutural, quanto no projeto. Até canos foram roubados no final da gestão passada, o que dificultou ainda mais para o novo governo.
A obra parece ter sido deixada justamente para não ser concluída, do tanto de irregularidades que foram encontradas. Uma delas foram as estacas raízes em tamanho 80% menores do que a dimensão correta. Outra foi o projeto/solução de içamento e lançamento da ponte errado.
A obra apresentou também a falta de previsão em projeto de extensão de 800m de tubulação na Ilha (estiva), além do projeto de interligação com adutora antiga dos dois lados (continente e Ilha) inadequado.
Para todos esses problemas, o governo do Estado teve que refazer projeto e submeter à aprovação do Ministério das Cidades. Todos esses problemas encontrados foram resolvidos em tempo recorde. Em menos de três anos – diferentemente dos 14 anos que Roseana não conseguiu concluir – Flávio Dino irá melhorar em 30% o abastecimento de água em São Luís.
Apesar da torcida contra dos sarneysistas, tão logo se resolva o problema de vazamento ocorrido no último sábado, São Luís terá – finalmente e após mais de uma década de espera – mais água para todos. Para isso foi preciso Flávio Dino consertar erros do passado, como ele tem feito com louvor.
Nunca na história do Maranhão se comemorou tanto o adiamento das obras do Sistema Italuís quanto os meios de comunicação ligados à oligarquia Sarney tem feito nas últimas 24 horas. Os sarneysista pouco importam para o fato do problema ter sido decorrente de uma peça que não funcionou de responsabilidade de fabricação de uma empresa privada. E é bom que se diga: Apenas uma das peças dos quase 20km total da adutora deu problema.
Para o sistema de comunicação da oposição e seus afins, tudo é culpa do governo! Não lembram que o novo Sistema Italuís foi deixado com sérios problemas estruturais, de execução, de projeto, e teve de ser completamente refeito pelo governo Flávio Dino. De forma que essa é a diferença entre o passado e o presente é que, apesar dos problemas, a obra será entregue! Mas “eles” não se importam com isso, irão alardear o velho discurso: “Essa obra foi Roseana que deixou”.
-Flávio Dino esteve por duas vezes no local de reparos acompanhando os serviços, confira nos vídeos abaixo:
01:

02:
Essa é mais uma mudança implantada no Maranhão. Hoje o estado tem um governador que enfrenta os problemas in loco e se importa com o bem estar da população…
Uma das qualidades mais reconhecidas pela população maranhense do governador Flávio Dino é a disposição em resolver os problemas do estado. Neste domingo, 10, ele deu mais uma demonstração de atitude e responsabilidade de um gestor ao enfrentar o vazamento da nova adutora do sistema Italuís indo para o front.
Flávio Dino passou quase o dia todo com técnicos da Caema e com representantes das empresas responsáveis pela obra vistoriando o que teria ocorrido e – principalmente – cobrando soluções rápidas para o problema. Quem passava pela BR-135 e se deparava com o governador ali, no meio do povo e dos trabalhadores até a noite, elogiava a atitude. Muitos carros e vans, inclusive, passavam com passageiros gritando elogios a Dino. “Meu governador”, “É isso aí”, eram as frases mais ouvidas na ocasião.
A postura de Flávio Dino é completamente diferente do que ocorria no passado. Quando em qualquer momento de crise a ex-governadora Roseana Sarney se escondia e tinha medo de aparecer, tendo que ser socorrida por ministros chamados pelo seu pai, José Sarney (quem não lembra das rebeliões e das decapitações em Pedrinhas quando Roseana ficou acuada diante do caos no sistema de segurança no estado)?
Continue lendo no Blog do John Cutrim…

Rádio Timbira

banner: radio timbira

Facebook

Contato

Whatsapp: 98-988916524

E-mail: folhadomunicipio@hotmail.com

Blogroll