quinta-feira, 17 de maio de 2018
Crime de atentado à segurança pode levar a pena de 5 anos de cadeia.
Whatsapp
(Rahul Ramachandram / Shutterstock.com)

LEIA TAMBÉM:
WhatsApp terá recurso para qualquer usuário gravar áudios sem segurar o celular

SÃO PAULO - Um comerciante foi preso em Novo Hamburgo (RS) após anunciar uma blitz da Polícia Militar em um grupo de WhatsApp no último domingo (13). Ele trabalhava em seu carrinho de cachorro-quente no bairro São Jorge quando a polícia descobriu a mensagem e o levou até a Delegacia de Polícia de Pronto-Atendimento (DPPA).
Ao ver a barreira policial, o homem de 36 anos escreveu "novamente barreira" e "avisarei quando forem embora". A mensagem chegou a um policial militar que repassou aos colegas em serviço. 

O comerciante foi preso por crime previsto no artigo 165 do Código Penal. São previstos até cinco anos de reclusão a quem "atentar contra a segurança ou o funcionamento de serviço de água, luz, força ou calor, ou qualquer outro de utilidade pública". 

Como foi preso em flagrante, ele não pode pagar fiança. As autoridades ainda estão definindo se ele responderá em liberdade. 

0 comentários:

Postar um comentário

Rádio Timbira

banner: radio timbira

Facebook

Contato

Whatsapp: 98-988916524

E-mail: folhadomunicipio@hotmail.com

Blogroll