quinta-feira, 9 de agosto de 2018
Pelo menos três deputados estaduais – Adriano Sarney, Edilázio Júnior e Wellington do Curso – utilizaram a Tribuna da Assembleia Legislativa para comentar a decisão da juíza Anelise Reginato, que declarou a inelegibilidade do governador Flávio Dino. Outros deputados utilizaram as redes sociais para destacar o assunto, que ganhou repercussão em todo o Brasil.
O deputado Adriano Sarney destacou a decisão corajosa da magistrada e reitera que para a Justiça Eleitoral, Flávio Dino teria cometido crimes. O parlamentar ainda destacou que a intromissão do Governo Dino aconteceu em outros municípios e lembrou o episódio de Mirinzal.
“Ela não apenas impõe como punição a ilegibilidade do Governador Flávio Dino, mas ela é clara quando estabelece que o Governador Flávio Dino cometeu crimes. Crimes de abuso econômico e político no município de Coroatá durante as eleições municipais daquele ano. Eu e outros deputados, à época, denunciamos os abusos cometidos pelo governador durante as eleições municipais. Em Mirinzal teve até a prisão absurda de um candidato a prefeito na cidade de Mirinzal, que foi o ex-prefeito Amauri, preso praticamente no dia das eleições municipais por ordem do Palácio dos Leões”, afirmou.
O deputado estadual Welington do Curso lembrou que ninguém está acima da lei e que é preciso que se faça justiça contra tudo e contra todos.
“Ninguém está acima da lei, acima da justiça e acima da ordem. Nem mesmo quem se acha professor de Deus, nem mesmo quem se acha acima de tudo e de todos e acima da lei. Existe um Deus que tudo vê, que tudo sabe. E depois da justiça divina, existe a justiça dos homens”, destacou.
Já o deputado estadual Edilázio Júnior, além de se solidarizar com a juíza, atacada após a publicização da sua decisão, e pedir um posicionamento do Tribunal de Justiça e da AMMA, ainda destacou o abuso cometido pelo Governo Flávio Dino em Coroatá.
“Ali não precisa entender de lei, não precisa ser juiz para ver o abuso da máquina pública, o abuso de autoridade que foi exercido no pleito no município de Coroatá nas últimas eleições e que nãos se resume ao município de Coroatá, na verdade foi no Maranhão afora. O Estado não pode chegar no município sem ter a autorização do gestor, sem apresentar um plano de trabalho, como o Governo Federal não pode chegar no Estado do Maranhão sem ter a autorização do Estado. Está aí o exemplo da própria refinaria que precisou de várias licenças do meio ambiente, da infraestrutura, da mesma forma são os municípios. Mas para o Governador pode tudo. O governador autoritário e prepotente pode tudo. E ali no município de Coroatá, vejam a inversão dos valores, Senhor Presidente, quando o Secretário do município foi perguntar se havia alvará para que eles pudessem fazer aquele asfalto no município, o delegado, junto com a Polícia Militar, foi prender o Secretário porque ele questionou se ali havia uma autorização expressa do município. O Governador Flávio Dino foi em todo o Estado do Maranhão coagindo os gestores que não rezavam a sua cartilha”, disse Edilázio.
O deputado Sousa Neto – que não esteve na Sessão Ordinária desta quinta-feira (09) – se posicionaram nas redes sociais. Para o parlamentar a justiça foi feita.
Do blog do Jorge Aragão

0 comentários:

Postar um comentário

Rádio Timbira

banner: radio timbira

Facebook

Contato

Whatsapp: 98-988916524

E-mail: folhadomunicipio@hotmail.com

Blogroll