terça-feira, 27 de novembro de 2018
O presidente eleito Jair Bolsonaro, após alguns dias, demonstrou que tinha razão nas críticas com relação ao programa Mais Médicos e principalmente em não ter recuado após a iniciativa unilateral do Governo de Cuba de ter retirado os médicos que estavam trabalhando no Brasil dentro do referido programa.

Inicialmente o que Bolsonaro fez foi criticar o fato de que os médicos cubanos estavam trabalhando no Brasil de maneira desumana, recebendo apenas 30% dos seus salários, pois o restante iria para a Cuba, e sem poder ter a presença dos seus familiares. Além disso, o futuro presidente deixou claro que não achava justo que os médicos do programa não precisassem passar pelo Revalida, uma prova para todos os médicos formados fora do Brasil, inclusive os brasileiros.

As declarações de Bolsonaro, mesmo antes de assumir o mandato, foram o suficiente para que Cuba determinasse a saída imediata dos médicos cubanos e tentassem inviabilizar o futuro governo.

Entretanto, o “tiro saiu pela culatra” e o Governo Temer lançou um edital do Mais Médicos para substituir os profissionais cubanos que desistiram do programa. Mesmo bem antes do prazo final, o programa já teve 97,2% das vagas preenchidas. O presidente eleito Bolsonaro, nesta terça-feira (27), nas redes sociais e reafirmou seu posicionamento.
Vale lembrar que as inscrições seguem abertas e vão até o dia 7 de dezembro.

0 comentários:

Postar um comentário

Rádio Timbira

banner: radio timbira

Facebook

Contato

Whatsapp: 98-988916524

E-mail: folhadomunicipio@hotmail.com

Blogroll