O grupo que invadiu a secretaria estadual de Direitos Humanos na última sexta-feira (23) desocupou o local na manhã desta segunda (26). Eles aceitaram a proposta de abertura de um canal de diálogo direto com o Governo do Estado. Os manifestantes pedem a suspensão das obras na comunidade Cajueiro, onde está sendo construído um porto particular.

Diálogo, aliás, que é mantido pela secretaria de Direitos Humanos e outras entidades desde o começo desta disputa. Mas, mesmo com a intermediação do governo, a Justiça determinou a reintegração de posse retirando os poucos moradores que não concordaram com o acordo firmado.