Mais de 104 milhões têm pedido negado para auxílio emergencial.
Desses, 40,1% optaram pela poupança social da instituição para receber os recursos. Expectativa do banco é criar 30 milhões de contas nesse formato.
Caixa Econômica Federal informou que 31,5 milhões de brasileiros concluíram seus cadastros para o auxílio emergencial de R$ 600,00, a ser pago durante a crise do novo coronavírus, conforme boletim do banco divulgado às 18 horas. Desses, 40,1% já optaram receber os recursos pela poupança social da instituição. A expectativa da Caixa é criar 30 milhões de contas nesse formato.

Mais de 104 milhões têm pedido negado para auxílio emergencial.
O número de pessoas que tentaram se registar para receber o auxílio de R$ 600 e  tiveram o pedido negado chegou a 104,1 milhões, até a noite desta sexta-feira (10). Segundo a Caixa Econômica Federal, neste grupo estão desde aqueles que não têm direito porque não estão no Cadastro Único do governo federal, fraude ou desinformação em relação aos critérios exigidos.
Os pedidos são analisados pela Dataprev, empresa de tecnologia ligada ao Ministério da Economia, com apoio ainda do Banco do Brasil. O governo tem sido enfático sobre possíveis fraudes no auxílio emergencial. A Polícia Federal e a Abin (Agência Brasileira de Inteligência) já trabalham no mapeamento de quem busca se aproveitar da crise.

Em um primeiro momento, o dinheiro depositado na poupança social da Caixa não poderá ser sacado, uma vez que estará disponível somente para transações digitais como transferências e pagamentos de contas. O governo ainda divulgará o calendário para a realização de saques.

A Caixa informa ainda que o site já recebeu 271,6 milhões de visitas. Foram enviados 135,6 milhões de mensagens por celular (SMS) para a confirmação do cadastro do auxílio emergencial. A central 111, na qual os brasileiros podem tirar dúvidas e pedir informações, recebeu até o momento 8,6 milhões de ligações.

A diferença entre os cadastros aceitos e o número de mensagens enviadas por celular para a confirmação dos mesmos sinaliza a quantidade de pessoas que não têm direito ao auxílio emergencial. Até agora, somam um total de 104,1 milhões de pessoas que tentaram se registrar para receber os recursos, mas tiveram o pedido negado. Neste grupo, estão desde aqueles que não têm direito por que não estão no Cadastro Único do governo, fraude ou desinformação em relação aos critérios exigidos.

A Caixa está olhando “com lupa”, segundo fontes, para pedidos de pessoas que não têm direito ao auxílio. Este trabalho está sendo feito ainda pela Dataprev, empresa de tecnologia ligada ao Ministério da Economia, com apoio ainda do Banco do Brasil.