Decreto será publicado nesta segunda-feira (20). De acordo com o governador, a população terá uma semana para se adaptar as novas regras.
Por Rafaelle Fróes, G1 MA — São Luís, MA
O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), anunciou que vai editar um decreto nesta segunda-feira (20) determinando o uso obrigatório de máscaras em locais públicos, privados e ambientes de livre acesso em todo o estado. A medida foi anunciada em uma coletiva de imprensa pela internet e tem como objetivo prevenir a transmissão do novo coronavírus.

De acordo com Dino, a população terá o prazo de uma semana para se adaptar as novas medidas. Por conta disso, o estado vai determinar a abertura de lojas que vendem tecidos e artigos que são usados para produção de máscaras.

"Há um prazo para que todo mundo se adapte até o final da semana sobre isto. Vou determinar a abertura de lojas que vendem tecidos, para que com isso haja o fornecimento de insumos e consigamos ter o abastecimento do material necessário para a fabricação inclusive caseira de máscaras", disse o governador.
Flávio Dino também ampliou, até o dia 5 de maio, o fechamento dos serviços considerados não essenciais nos municípios que fazem parte Grande Ilha de São Luís (São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa e a capital maranhense). As aulas em escolas públicas e privadas no estado continuam suspensas e devem ser retomadas a partir do dia 12 de maio.

Em relação ao comércio no interior do estado, o governador afirmou que as cidades vão continuar adotando medidas específicas para as suas regiões, baseado no número de casos registrados. Os estabelecimentos comerciais que abrirem as portas devem seguir normas sanitárias determinadas pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) e pelo Ministério da Saúde.

O governo do estado anunciou nesta segunda-feira (20) a entrega de 23 novos leitos que vão atender pacientes com Covid-19 na capital maranhense, que concentra a maior parte dos casos da doença. O Hospital São José, localizado na Rua São Pantaleão no Centro de São Luís, também foi alugado para receber exclusivamente pacientes com o novo coronavírus.

Para o interior do estado, o governo determinou a abertura dos hospitais em Lago da Pedra e em Santa Luzia do Paruá, que também devem receber pacientes com Covid-19 na região. De acordo com Flávio Dino, ainda está sendo estudado a abertura de um hospital de campanha em Açailândia em parceria com uma empresa privada.

"Lamentavelmente, de modo inusitado, há uma polêmica na cidade de Açailândia quanto a receber ou não esse hospital. Nós não queremos polêmica. Mas estamos acompanhando essa polêmica. Vamos consultar hoje as lideranças políticas da cidade e, se a decisão for de não receber o hospital, nós vamos alocar em outra cidade", revelou o governador do Maranhão.
Coronavírus no Maranhão
Até o momento, o Maranhão possui 54 mortes e 1.320 casos de coronavírus em 40 cidades maranhenses. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o estado tem 3.580 pessoas com suspeita de contaminação e 3.076 casos foram descartados. Ao todo, 4.397 testes para Covid-19 já foram realizados.

Ficar em casa
Ficar em casa é importante porque, segundo as autoridades de saúde, é a única maneira mais eficaz no momento para frear o aumento repentino no número de casos, o que poderia causar um colapso no sistema de saúde pela falta de leitos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Um colapso causaria a diminuição drástica da capacidade do sistema de saúde em cuidar dos pacientes, o que aumenta a chance de óbitos por Covid-19 e também por outras doenças.

Cuidados
Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.