Maranhão tem 79 profissionais da Saúde infectados com Covid-19 Entre eles, há médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos, técnicos de enfermagem.
Em quatro dias, mais 16 profissionais que atuam na rede estadual testaram positivo para a doença no Maranhão.
Por Rafaelle Fróes, G1 MA — São Luís, MA
Subiu para 79 o número de profissionais área da saúde, que atuam na rede estadual do Maranhão, que testaram positivo para Covid-19, de acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES). No início da semana, eram 63 pessoas infectadas pelo coronavírus.

Entre os pacientes, estão médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, farmacêuticos e técnicos de enfermagem. Segundo a SES, foi garantida a testagem dos profissionais dentro das unidade onde eles trabalham. Até o momento, a auxiliar de enfermagem Maria Madalena Barbosa de 61 anos, veio a óbito por conta da doença.

A secretaria esclareceu que está investindo na aquisição de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) para as equipes que estão atuando diretamente no atendimento aos pacientes de Covid-19. Também foi destinado o atendimento exclusivo para os servidores da área no Centro de Testagem da Beira-Mar, em São Luís, que funciona de segunda a sexta-feira, durante o dia e, tem capacidade realizar até 250 coletas diárias.

No domingo (12), foi divulgada pelo governo, a morte de um profissional da saúde no Maranhão por conta da Covid-19. A paciente era auxiliar de enfermagem Maria Madalena Barbosa Souza, de 61 anos, que morreu após ficar internada no Hospital Carlos Maceira em São Luís. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde (SES), ela tinha diabetes e obesidade.

Maria Madalena trabalhava na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Vinhais e no Hospital Municipal Djalma Marques em São Luís. Ela estava afastada desde o dia 20 de março do trabalho após apresentar sintomas da Covid-19. Nas redes sociais, ela chegou a participar junto com colegas da UPA do Vinhais da campanha 'Fique em casa'.
Paciente que morreu por Covid-19 em São Luís (MA), participou da campanha 'Fique em casa' — Foto: Reprodução/Redes Sociais
Quarentena
Por causa da evolução no número de casos, a proibição de funcionamento de diversos comércios e estabelecimentos no Maranhão foi mantida por tempo indeterminado, mas, segundo o Governo do Maranhão, será reavaliada semanalmente. A proibição de funcionamento afeta os seguintes segmentos:

Bares, restaurantes, lanchonetes e estabelecimentos congêneres;
Templos, igrejas e demais instituições religiosas;
Museus, cinemas e outros equipamentos culturais, público e privado;
Academias, clubes, centros de ginástica e estabelecimentos similares;
Lojas ou estabelecimentos que pratiquem o comércio ou prestem serviços de natureza privada;
“Shopping center”, galeria/centro comercial e estabelecimentos congêneres, salvo quanto a supermercados, farmácias e locais que prestem serviços de saúde no interior dos referidos dos estabelecimentos;
Feiras e exposições;
Indústrias, excetuadas as dos ramos farmacêutico, alimentício, de bebidas, produtos hospitalares ou laboratoriais, obras públicas, alto forno, gás, energia, água, mineral, produtos de limpeza e higiene pessoal, bem como respectivos fornecedores e distribuidores.
Ficar em casa é importante porque, segundo as autoridades de saúde, é a única maneira mais eficaz no momento para frear o aumento repentino no número de casos, o que poderia causar um colapso no sistema de saúde pela falta de leitos e de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

Um colapso causaria a diminuição drástica da capacidade do sistema de saúde em cuidar dos pacientes, o que aumenta a chance de óbitos por Covid-19 e também por outras doenças.

Cuidados
Para evitar a proliferação do vírus, o Ministério da Saúde recomenda medidas básicas de higiene, como lavar as mãos com água e sabão, utilizar lenço descartável para higiene nasal, cobrir o nariz e a boca com um lenço de papel quando espirrar ou tossir e jogá-lo no lixo. Evitar tocar olhos, nariz e boca sem que as mãos estejam limpas.