General Eduardo Pazuello assume interinamente o Ministério da Saúde.
Ministro deixa cargo antes de completar um mês e após divergir de Bolsonaro. Nota oficial diz que médico decidiu sair, mas assessores afirmam que foi demitido.
O ministro da Saúde, Nelson Teich, acaba de pedir de demissão. Ele assumiu o cargo em 16 de abril e não aguentou a pressão do presidente Bolsonaro que insiste autorizar o uso da cloroquina no inicio do tratamento, enquanto ele defende apenas nos casos mais graves. 
"Perdemos um mês" na luta contra o coronavírus, diz Mandetta sobre Teich.
O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse, nesta sexta-feira (15/5), que vê com "muita apreensão" apreensão a saída de Nelson Teich do comando da pasta. "Foi um mês perdido", afirmou, ao participar do programa CB.Poder, parceria do Correio com a TV Brasília (assista abaixo). 

Segundo Mandetta, no quase um mês que ficou no cargo, Teich não teve tempo de fazer muito. "A única medida foi exonerar as pessoas que estavam lá trabalhando", disse.

Para ele, neste mês, era necessário tomar uma série de medidas, como aumentar o tamanho do sistema de saúde e o número de leitos e tentar uma maior aproximação com a China, para trazer mais respiradores ao país. "Perdemos um mês, que era a espinha dorsal de todas essas tentativas."

Mandetta disse ainda não acreditar que o número de casos de covid-19 vá se estabilizar logo. Ele prevê que a curva só vá se estabilizar em julho.