O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), acaba de ser eleito presidente do Consórcio Amazônia Legal, formado pelos nove estados que compõem a região.  

A votação, feita nesta segunda-feira, contou com a participação de sete governadores — apenas os chefes dos executivos de Amazonas e Rondônia estiveram ausentes. 

Dino foi eleito por unanimidade.  

O governador maranhense é um dos principais opositores de Jair Bolsonaro (sem partido) e ficará à frente do colegiado por todo o ano de 2021. 

Ele substitui na presidência da Amazônia Legal o governador do Amapá, Waldez Góes (PDT).  “Um colegiado abrange diferentes visões e quem o coordena tem que ter a capacidade de ouvir. Farei com a maior dedicação, maior patriotismo, maior civismo, e com espírito de unidade, de diálogo, de consenso. Buscar um entendimento médio, nem uma posição extremada de um lado, e nem de outro. Um espírito de unidade”, afirmou Dino ao Radar após o resultado.  No fim de 2019, mesmo ano em que foi criado, o consórcio anunciou uma parceria de preservação da floresta amazônica com a França, indo na contramão das medidas adotadas pelo governo federal.