A Prefeitura de São Luís fez a entrega de 800 cestas básicas a trabalhadores do comércio informal que tiveram perda em sua renda por causa da não realização de festas carnavalescas este ano, em decorrência da pandemia de Covid-19. A entrega aconteceu na manhã deste sábado (20), no Parque do Bom Menino, e foi acompanhada pelo prefeito Eduardo Braide, que destacou a importância da ação.

“A pandemia tem afetado muitas famílias com a perda ou diminuição da sua renda. Por isso, precisamos ajudar quem mais precisa neste momento. Os vendedores ambulantes estão sendo afetados não apenas pela não realização do Carnaval neste ano, mas com a não realização de outras festividades importantes desde o ano passado. Por isso, em parceria com a iniciativa privada, estamos fazendo a entrega de cestas básicas, garantindo alimento na mesa destas famílias”, afirmou o prefeito.

A ação, articulada pela Agência Municipal de Desenvolvimento Econômico e Social (AMDES), contou com a parceria das empresas Fribal, Roque Aço e Cimento, Centro Elétrico e Potiguar.

 “O prefeito Eduardo Braide, muito sensível com esta parcela dos trabalhadores de São Luís, determinou que a AMDES articulasse ações no sentido de minorar os impactos econômicos da pandemia. Nós fizemos contato com empresas parceiras que prontamente nos ajudaram com a aquisição das cestas básicas que foram entregues hoje”, disse o presidente da AMDES, Felipe Mussalém.

Os vendedores informais beneficiados com a ação foram mapeados pelo Sindicato do Comércio de Vendedores Ambulantes de São Luís, que dispõe de cadastro com o nome dos comerciantes que atuam durante o carnaval. Cada cesta básica contém 2 quilos de arroz, um pacote de 250g de café, 1 quilo de feijão, 1 quilo de açúcar, óleo de cozinha, um pacote de 200g de leite, um pacote de biscoito água e sal, um pacote de flocão de milho, um pacote de macarrão, 1 quilo de farinha de mandioca e uma lata de sardinha.

Cada pessoa recebeu duas cestas básicas que vieram em muito boa hora, segundo Guaraci Pereira Castro, que mora em uma casa com 12 pessoas. “Está sendo muito difícil para a gente porque a gente já ganha pouco. Sem as festas, que era quando a gente conseguia um dinheiro a mais, piorou muito. Então, eu fiquei muito feliz com essa ação da Prefeitura”, completou.