Bares, restaurantes e demais atividades não essenciais previstas no decreto anterior continuam fechados até 28 de março.

O governador Flávio Dino (PcdoB), anunciou, nesta sexta-feira (19), em entrevista coletiva virtual, novas medidas para tentar conter o avanço do coronavírus no Maranhão.

Segundo o governador Flávio Dino, o país atravessará momentos muito difíceis em relação à pandemia nas próximas 6 semanas, mesmo assim disse estar evitando tomar medidas mais drásticas neste momento (como o lockdown), mas anunciou a ampliação das medidas em vigor no estado.

“Em muitos estados estão em vigências medidas mais rígidas, mas eu tenho evitado isso, embora tenhamos que endurecer com medidas em outros setores, com um grau acima das medidas restritivas”, disse acrescentando que os prefeitos também exerçam os seus papéis com a adoção de medidas nas suas cidades.

Flávio Dino lembrou que o Maranhão tem a menor taxa de letalidade no país e que, embora o número de óbitos tenha aumentado nas últimas semanas, o governo tem trabalhado para conter a taxa de letalidade e para isso diz ser vital diminuir a demanda de internações hospitalares. O governador destacou que tem ampliado a oferta de leitos no estado (ao todo 799 leitos, sendo 498 leitos clínicos e 321 leitos de UTI), mas conclamou as prefeitura de São Luís e de Imperatriz, bem como a rede provada façam um esforço para ampliar a oferta de leitos.

Entre as medidas anunciadas pelo governador Flávio Dino estão:

A prorrogação das medidas em vigor até o próximo dia 28;

Antecipação do feriado de 28 de julho para 26 de março;

Suspensão das atividades não essenciais nos dias 27 e 28 em todo o estado;

Suspensão das cirurgias eletivas na rede privada para garantir estoque de anestésico;

Antecipação do horário de encerramento das atividades nas construção civil para às 16h;

Ocupação de 50% nas academias e supermercados, com apenas uma pessoa por família.

Aquisição de 4,582 milhões de doses de vacina Sputnik V