Maranhão Hoje

O governador Flávio Dino (PCdoB) anunciou nesta quinta-feira (1º), em coletuva no Palácio dos Leões, a ampliação das medidas de restrição às atividades econômicas e sociais a fim de conter o coronavírus. Ele anunciou entrega de mais leitos para tratamento da doença e disse que as restrições vão até 11 de abril.

De acordo com as medidas, permanecem suspensos, em todo o estado, eventos, festas, reuniões e afins. A administração pública estadual vai funcionar com 50% da capacidade e em regime de revezamento.

Na Grande Ilha, comércio e indústria funcionam das 09h às 21h; bares, restaurantes, supermercados, academias, salões e igrejas, devem funcionar com no máximo 50% da capacidade, e também das 09h às 21h. Pessoas que compõem os grupos de risco devem ser afastadas do trabalho (público e privado); as fiscalizações também estão mantidas.

Sobre  volta às aulas, o Governo reunirá com representações da rede particular de ensino, para antecipação total ou parcial das férias de julho. “Conversamos com entidades de escolas, pais e alunos, que nos procuraram. Estamos examinando a solicitação e teremos uma decisão na semana que vem”, pontuou o governador Flávio Dino.

O governador ressaltou que, de acordo com o cenário que se apresentar após o novo prazo de restrições, as medidas podem ser flexibilizadas ou ampliadas. Nova coletiva está marcada para a sexta-feira (9).

Cenário da pandemia – Segundo Flávio Dino, o Maranhão permanece, proporcionalmente, com o com o menor número de mortes por Covid-19.

Para conter avanço da doença e reduzir cada vez mais os riscos de contágio e de óbitos, o Governo do Estado vem investimento fortemente na área da saúde. Os recursos ultrapassam o mínimo legal de 12% da receita estadual – chega a 15,11% e representa 25% a mais em investimentos. “Continuamos investindo e vamos sempre investir mais que este índice legal de 12%”, reforçou o governador.