Senso Incomum

Uma publicação digital especializada em pesquisa, informação e aconselhamento sobre privacidade de dados e segurança cibernética publicou na manhã desta segunda-feira uma postagem afirmando que hackers estão vendendo os dados pessoais de 1,5 bilhão de usuários do Facebook.

Segundo o site romeno Privacy Affairs, um usuário de um conhecido fórum de hackers publicou um anúncio alegando possuir os dados pessoais de mais de 1,5 bilhão de usuários do Facebook.

“Os dados estão atualmente à venda na plataforma do fórum, com os potenciais compradores tendo a oportunidade de adquirir todos os dados de uma vez ou em quantidades menores”, diz a publicação.

De acordo com a reportagem, os dados incluem nome, e-mail, dados de localização, sexo, número de telefone e ID do usuário.

Os hackers afirmam que o gigantesco banco de dados foi montado com técnicas de scraping, sem a necessidade de hackeamento de contas. Scraping é um processo de extração ou coleta de dados da web onde os dados publicamente disponíveis são acessados ​​e organizados em listas e bancos de dados.

“Embora, tecnicamente, nenhuma conta tenha sido comprometida, isso é pouco consolo para aqueles cujos dados podem agora acabar nas mãos de profissionais de marketing inescrupulosos da Internet e provavelmente também nas mãos de cibercriminosos”, diz um trecho da reportagem.

O fato de todas as plataformas do Facebook, que incluem Instagram, WhatsApp e Messenger estarem sofrendo um dos maiores apagões de sua história, aparentemente não tem relação com os dados da reportagem. Mas, convenhamos: tamanha coincidência deixa uma pulga atrás da orelha dos mais céticos.