O secretário de Estado da Saúde do Maranhão, Carlos Lula (PSB), endossou nesta terça-feira, 7, em entrevista à Rádio Mirante AM, discurso do governador Flávio Dino (PSB) a respeito da realização, ou não, do Carnaval no estado em 2022.

“Em 15 dias muda tudo. Não tem como dizer. O que a gente tem que fazer é minimizar os danos, tentar vacinar o máximo e tenta conviver. Dá para fazer um evento com 50 mil pessoas? Por isso que não dá para fazer o réveillon, que estava previsto para ter atrações nacionais. E o que a gente faz? Coloca 80 mil pessoas e corre o risco e depois tem um aumento de casos? Então esse é o problema. A gente não tem como bater o martelo que vai ter carnaval”, destacou Carlos Lula.

Na semana passada Dino já havia dado declaração parecida. “Carnaval, nós só vamos decidir, no que se refere ao Governo do Estado, no mês de janeiro. Não haverá nenhuma decisão sobre Carnaval até, mais ou menos, 15 de janeiro, porque o Carnaval, se houvesse, ou se houver, será no final de fevereiro, comecinho de março”, destacou (reveja).

Segundo ele, é necessário avaliar, antes, a evolução da pandemia do novo Corona vírus diante da descoberta de uma nova variante, a ômicron.

“Essa doença tem um dinamismo, como nós sabemos, então é muito cedo para decidir, sob o ponto de vista epidemiológico. É claro que essa nova variante que surgiu, causando um debate mundial aumenta a incerteza. O que eu posso dizer é isto: é que, nesse momento, a incerteza existente se tornou ainda maior, porque nós não sabemos, ainda, como esta variante vai se comportar”, completou.