O governo do Estado do Maranhão dá início à programação oficial do São João 2022 nesta sexta-feira (27), reunindo, às 14h, expressivas e tradicionais atrações da cultura local, a exemplo do famoso bumba meu boi, na Praça do Pantheon (em frente à Biblioteca Pública Benedito Leite), no Centro.

Às 16h, os bois Upaon-Açu; de Leonardo; de Axixá; de Santa Fé; da Madre Deus; da Fé em Deus; Brilho da Ilha; Novilho Branco; Meu Tamarineiro; da Juventude (Miranda do Norte); e de Pindaré saem em cortejo, pelo Centro Histórico, percorrendo as ruas do Outeiro, Grande (Oswaldo Cruz), Afonso Pena, de Nazaré, da Estrela, da Alfândega, Beco Catarina Mina, rua Portugal, avenida Senador Vitorino Freire, com destino à Praça da Fé (em frente à Casa do Maranhão – importante museu folclórico da cidade).

Além dos grupos de bumba-boi, a programação está aberta para distintas manifestações culturais, como tambor de crioula, cacuriá, quadrilha, dança do coco, entre outras.

Palco na Praça da Fé

Às 18h, haverá uma solenidade de abertura do São João 2022 com o governador do Maranhão, Carlos Brandão; e o secretário de Estado da Cultura, Paulo Victor.

Em seguida, a programação continua na Praça da Fé, onde haverá um palco para apresentação do grupo Afrôs (18h30); Boi de Nina Rodrigues (19h30); Companhia Barrica do Maranhão (20h); da Floresta (21h); e Boi de Maracanã (21h30).

Programação oficial, com dois meses de festa

No dia seguinte, 28 de maio, tem início a programação oficial. Serão dois meses de festejo, com mais de 500 atrações e mais de 20 arraiais no maior São João do Brasil, considerando apenas os oficiais, ou seja, fora os de bairro que terão apoio do Governo.

Os que devem receber um maior público são Nauro Machado, Ipem, zona rural, Shopping da Ilha, Ceprama, Vila Palmeira, Cidade Operária, Maiobão, Santo Antônio, Lagoa da Jansen, área Itaqui-Bacanga e Convento das Mercês.

Os destaques ficam por conta da Nauro Machado, com programação de 11 de junho a 3 de julho; da Vila Palmeira, com um mês de duração, de 2 de junho a 2 de julho, de quinta a domingo para ambos; e o do Ipem, que funcionará diariamente, de 11 de junho a 10 de julho.

Decoração junina

São muitas as intervenções decorativas em mais de 20 cidades maranhenses. Na capital, quem passa pelo Centro Histórico se encanta com o colorido forte e vibrante das bandeirinhas, bandeirolas e mosaicos.

Os locais que recebem a decoração são as ruas Portugal, Djalma Dutra, da Estrela, da Alfândega (próximo à Feira da Praia Grande). Na Praça dos Catraieiros (próximo à Casa do Maranhão) será montado um painel instagramável. A decoração junina, que é de iniciativa do governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Cultura (Secma), apresenta uma novidade em 2022: a Ponte José Sarney – conhecida como ponte do São Francisco -, que pela primeira vez recebe um mosaico, com seis trechos de 60 metros de extensão.

Contagem regressiva e Maranhão de Reencontros

Logo na solenidade de posse como governador do Maranhão, no último 2 de abril, Carlos Brandão anunciou que, depois de dois anos de interrupção por causa da pandemia, o estado voltaria não apenas a celebrar os festejos juninos, mas organizar o maior São João do Brasil.

Deu-se início, então, a contagem regressiva. Um mês depois, mais precisamente no dia 1º de maio, um saudoso e numeroso público já pôde conferir as prévias juninas do projeto Maranhão de Reencontros – evento que tem recebido, todos os domingos, vários artistas tradicionais da cultura local.

O público, que chegou a ultrapassar mais de 3.500 pessoas na Concha Acústica Reynaldo Faray, localizada na Lagoa da Jansen, em São Luís, desfrutou o talento de nomes como Cacuriá de Dona Teté, Mano Borges, Boi de Morros, comédia Pão com Ovo, Boi de Nina Rodrigues, Companhia Barrica do Maranhão, Boi Brilho da Ilha, Boi de Axixá, Boi da Maioba, Boi Novilho Branco, Roberto Ricci e Boi de Santa Fé.