sábado, 17 de novembro de 2018
Criança sofreu queimaduras em uma carvoaria de Buriticupu na quarta-feira (14).
O menino João Miguel embarcou em um jatinho aeromédico para Goiânia na noite deste sábado (17).
O menino João Miguel, de 5 anos, internado após sofrer queimaduras de terceiro grau na última quarta-feira (14), em uma carvoaria no município de Buriticupu, foi transferido para Goiânia na noite deste sábado (17).

De acordo com informações da Secretaria de Estado da Saúde (SES), João Miguel deixou o Hospital Municipal Infantil de Imperatriz, onde recebeu os primeiros atendimentos médicos, para continuar o tratamento no Hospital de Queimaduras da capital goiana, referência nacional no tratamento de queimaduras graves.

Antes de embarcar em um jatinho aeromédico para Goiânia, João Miguel foi submetido a uma cirurgia na tarde deste sábado, para amputar as pontas dos dedos. Depois desse procedimento, a transferência para o Hospital de Queimaduras foi autorizada.

Os últimos boletins médicos divulgados pelo Hospital Municipal Infantil apontam que João Miguel continua em estado grave, mas estável. A criança, que teve cerca de 70% do corpo queimado, continua sedada e respirando com a ajuda de aparelhos.

Confira o comunicado feito pelo secretário da SES, Carlos Lula, na noite deste sábado, nas redes sociais:

Venho informar que nesta tarde de sábado (17) demos início a transferência do pequeno João Miguel. O deslocamento do Hospital Municipal Infantil de Imperatriz para Goiânia acontecerá por volta das 18h30. A previsão é de que a aeronave que conduz o paciente chegue ao seu destino até às 20h10. Estamos todos em oração pela vida deste pequeno maranhense e agradecemos a todos os profissionais envolvidos neste trabalho.

Sobre o caso

João Miguel, de cinco anos, sofreu queimaduras de terceiro grau na quarta-feira (14) em uma carvoaria no povoado Sagrima, município de Buriticupu. 

A criança, que acompanhava o pai, correu em direção a um local em que havia um buraco coberto e fogo por baixo. O pai  e outras duas pessoas também se queimaram tentando tirar a criança do fogo, mas não precisaram de internação.

Família faz apelo por doações

A família de João Miguel divulgou, na sexta-feira (16), uma conta bancária em nome da mãe para que sejam feitas doações em dinheiro.

Os depósito podem ser feitos em nome de Idenilsa Costa da Silva (mãe)
CPF: 640.406.073-68
Banco do Brasil
Agência: 3642-0
Conta Corrente: 35.879-7
Carro em que eles estavam bateu de frente contra caminhão. Filha do casal e caminhoneiro ficaram feridos

João Batista Gomes, a sobrinha Irene Lúcia Gomes e a esposa dele, Sueli Pereira de Matos Gomes, morrem em acidente na GO-222 em Anápolis

Por Paula Resende, G1 GO

O pastor evangélico João Batista Gomes, de 60 anos, a mulher dele, Sueli Pereira de Matos Gomes, de 49, e a sobrinha Irene Lúcia Gomes, de 49, morreram em um acidente entre o carro em que eles viajavam e um caminhão, na GO-222, em Anápolis, a 55 km de Goiânia. A filha do casal e o caminhoneiro também ficaram feridos.

João também trabalhava como chefe de gabinete do vereador de Anápolis Mauro Severiano. Ao G1, o político contou que a família estava voltando de Itaberaí, onde ocorreu o velório da irmã de João Batista e mãe de Irene.

“Enterramos a irmã dele em Itaberaí e voltamos para Anápolis. Eu vim na frente e ele saiu cerca de uma hora depois. É uma tragédia”, lamentou Severiano.
O acidente aconteceu por volta das 15h30, no Setor Santa Cecília, no perímetro urbano de Anápolis. Segundo o Corpo de Bombeiros, testemunhas relataram que o carro do pastor, um Ford Eco Sport, bateu de frente contra o caminhão quando tentava fazer uma ultrapassagem. No entanto, as circunstâncias do acidente só poderão ser confirmadas pela perícia.

João Batista, Sueli e Irene morreram no local do acidente. Já a filha do casal foi socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhada ao Hospital de Urgências de Anápolis (Huana). O caminhoneiro foi levado para a mesma unidade de saúde.

O G1 pediu ao Huana, por e-mail, informações sobre o estado de saúde dos pacientes, mas não obteve retorno até a publicação desta reportagem.
Um empresário de 39 anos matou a esposa, uma médica de 33 anos, a filha do casal de quatro anos e depois se matou na madrugada deste sábado (17), em Araguari, Minas Gerais. As informações são do G1.

De acordo com o Corpo de Bombeiros, por volta das 3h45, Thiago José de Aquino Marques dirigia o carro com a família quando, na Avenida Marechal Rondon, no Centro, bateu o veículo no muro de duas residências. Em seguida ele esfaqueou a esposa, Mariana Barbosa Paranhos, e depois ele mesmo. A a filha do casal, Valentina Paranhos de Aquino, foi encontrada esfaqueada no banco do carro.

O homem e a criança morreram ao dar entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Araguari e a mulher no local do crime. A família morava em Uberlândia e de acordo com a Santa Casa de Araguari, Mariana era plantonista da ginecologia e obstetrícia da unidade deste de janeiro deste ano e estava de plantão nesta madrugada. Não se sabe ainda a motivação do crime.

Segundo a Polícia Militar (PM), testemunhas contaram que o empresário do ramo de alimentos tentou atropelar Mariana, mas ela fugiu e conseguiu pular o muro de uma residência. Ele conseguiu alcançá-la e desferiu 12 facadas pelo corpo da médica.

Ainda de acordo com o Boletim de Ocorrência (BO), após assassinar a esposa, o homem estava transtornado e, gritando, golpeou a si mesmo com quatro facadas. A menina foi achada na cadeirinha no banco de passageiro do veículo com um golpe de faca no tórax. A suspeita dos militares é que a menina foi a primeira a ser morta.

Ao G1, o estudante Valério Ferreira da Cunha Neto, de 23 anos, vizinho do local onde ocorreu o crime, contou que a médica gritou por socorro várias vezes antes de ser assassinada.

“Antes de descer do carro ele já estava brigando com ela, ela conseguiu sair do veículo e gritou socorro várias vezes muito alto. Ele pegou o carro e tentou atropelá-la, mas como ela pulou um muro pequeno de uma casa, ele foi atrás e a matou. O homem estava transtornado, com um sentimento de ódio muito grande e só vimos que a menininha estava no carro morta quando a PM chegou”, lamentou a testemunha.

A faca utilizada nos crimes, de lâmina de 20 centímetros, foi recolhida pela Polícia Civil. O veículo da família foi apreendido e levado ao pátio credenciado ao Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG).

A perícia técnica da Polícia Civil realizou os trabalhos no local.

A Universidade Federal de Uberlândia (UFU) informou que a médica Mariana Barbosa Paranhos era residente em ginecologia e obstetrícia do Hospital de Clínicas de Uberlândia (HCU/UFU).

Em nota, a universidade lamentou o ocorrido e disse que o velório será na tarde deste sábado (17), a partir das 14h, em Uberlândia, na Funerária Ângelo Cunha situada na Avenida Getúlio Vargas, nº 2042.
Mariana Paranhos atuava como médica plantonista em Araguari e Thiago era dono de restaurante em Uberlândia (Crédito: Reprodução/Facebook)
sexta-feira, 16 de novembro de 2018
Um ônibus da banda Edson Lima e Gatinha manhosa tombou na tarde desta sexta-feira (16/11) próximo a cidade de Simplício Mendes, deixando uma pessoa morta e vários feridos.

Há informações que o motorista do ônibus tentou desviar de um motoqueiro da rodovia e acabou perdendo o controle do veículo.

O ônibus seguia sentido cidade de Isaías Coelho e o motoqueiro teria invadido a preferencial. Os integrantes da banda feridos foram encaminhados para o Hospital de Simplício Mendes.

O Pontal Piauí divulgou que segundo informações do comandante do Grupamento da Polícia Militar, tenente Damata, “o nome da vítima é Gilson, Gilson de Parrudo” como era conhecido, ele era o motociclista que foi colhido pelo ônibus, morrendo no local.

Nas redes sociais, o cantor Edson Lima, vocalista da banda, comentou o ocorrido. "Quero agradecer a Deus por tudo que aconteceu, não lamentar por nada, porque estamos todos bem. Estamos sujeito a isso tudo que aconteceu, o pior já passou".
Foto: Reprodução Facebook / Socorro Pereira 
Uma mulher, identificada como Lilian Rafaela Santos da Silva, de 25 anos, foi assassinada por volta de 15h desta quinta-feira (15), na Rua Santiago, no bairro São Pedro, na cidade de Codó, a 296 km de São Luís.

O criminoso, identificado como Jhonatan Moura da Silva, de 19 anos, disparou um tiro de espingarda na boca de Lilian Silva, sua companheira.  

O assassino foi preso por policiais militares minutos após o crime e confessou que matou a companheira após discutirem na residência em que moravam.

Ele alegou que vivia há cerca de 4 meses com a mulher e que o relacionamento era conturbado, com várias brigas e discussões.

Em entrevista à imprensa, o PM Cabo Bacelar disse que o homicida alegou que vinha sofrendo ameaças da companheira e que vizinhos relataram que ele agredia constantemente a mulher.

O criminoso foi encaminhado para a 4ª Delegacia de Polícia Civil de Codó e ficará à disposição do delegado de plantão.
O menino identificado por João Miguel, de cinco anos, continua internado na UTI do Socorrinho, Hospital Municipal Infantil de Imperatriz, em estado grave após sofrer queimaduras de 3º grau.

A criança teve o corpo queimado em uma carvoaria no povoado Sagrima, município de Buriticupu, distante 200 km, quando acompanhava o pai em uma área onde se faz carvão. O menino teria corrido em direção a um local onde havia um buraco coberto e fogo por baixo.

Outras pessoas também se queimaram tentando tirar a criança do fogo. Nas redes sociais muitos internautas comovidos com a situação do garoto estão buscando ajuda financeira para que ele possa ser transferido para um hospital referência no tratamento de queimaduras em Goiânia (GO).

O Hospital Municipal de Imperatriz disse que apesar do município não ter um centro especializado no tratamento de queimados graves. O garoto está recebendo toda a estrutura disponível na rede municipal de saúde, que conta inclusive com cirurgião plástico.

Doações

Qualquer doação, pode ser entregue na residência da família, na Rua Bahia, 80, na Sagrima, em Buriticupu. Nesta sexta-feira (16), a família irá abrir uma conta específica para depósito de doações em dinheiro. Nenhuma das contas divulgadas nas redes sociais estão autorizadas a receber doações.

É 'desumano' dar aos mais pobres atendimento sem 'garantia', diz Bolsonaro sobre cubanos
Presidente eleito voltou a criticar regras do Mais Médicos e citou 'direitos humanos' ao defender repasse integral do salário pago no programa aos profissionais cubanos que atuam no país.
Por Fernanda Rouvenat e Lucas Salomão, G1 — Rio de Janeiro e Brasília

O presidente eleito Jair Bolsonaro afirmou nesta sexta-feira (16) que é "injusto" e "desumano" destinar aos mais pobres o atendimento médico por parte de profissionais cubanos "sem qualquer garantia" de qualidade.

A declaração foi dada após café da manhã entre Bolsonaro e o comandante da Marinha, o almirante de esquadra Eduardo Bacelar Leal Ferreira, no Comando do Primeiro Distrito Naval, no Centro do Rio.

Para o presidente eleito, o governo brasileiro não tem comprovação de que os profissionais de saúde enviados por Cuba sejam competentes e, por isso, voltou a defender que eles deveriam passar por uma prova para revalidar o diploma e atuar no Brasil.

Na última quarta (14), o governo de Cuba informou que decidiu sair do Mais Médicos e atribuiu a decisão a "declarações ameaçadoras e depreciativas" de Bolsonaro. O presidente eleito afirma que Cuba não quis aceitar condições para continuar no programa.

"Eu nunca vi uma autoridade no Brasil dizer que foi assistida por um médico cubano. Será que nós devemos destinar aos mais pobres profissionais, entre aspas, sem qualquer garantia? Isso é injusto. Isso é desumano", disse Bolsonaro.

"Não queremos isso para ninguém, muito menos para os mais pobres. Queremos salário integral e o direito de fazer a família para cá. Isso é pedir muito? Isso está em nossas leis", complementou.

Segundo o presidente eleito, a forma como a contratação dos médicos cubanos foi feita é "situação de prática de escravidão" porque, de acordo com Bolsonaro, o governo cubano impede que a família dos médicos os acompanhe durante o período em que eles estão no Brasil.

"Vamos falar em direitos humanos? Quem diria, não é? Tanta crítica eu sofri aqui... talvez a senhora [dirigindo-se a uma jornalista] seja mãe. Imaginou ficar longe dos seus filhos por um ano? É a situação de prática de escravidão que estão sendo submetidos os médicos e as médicas cubanos no Brasil. Imaginou confiscar da senhora 70% do seu salário?", criticou o presidente eleito.

Asilo
Na entrevista, Bolsonaro voltou a afirmar que, após tomar posse como presidente, dará asilo a cubanos que pedirem.

Para o presidente eleito, a "ditadura" instalada em Cuba justifica a concessão de asilos aos profissionais de saúde que estão no Brasil.

"Há quatro anos e pouco, quando foi discutida a medida provisória [que criou o Mais Médicos], o governo da senhora Dilma em alto e bom som disse que qualquer cubano que pedisse asilo seria deportados. Se eu for presidente, o cubano que pedir asilo aqui justifica, no meu entender pela ditadura na ilha, terá o asilo da minha parte", disse.

Edital
Mais cedo, o Ministério da Saúde informou que a seleção de médicos brasileiros para ocuparem as vagas que serão deixadas pelos profissionais cubanos do programa Mais Médicos ocorrerá ainda em novembro.

De acordo com o Ministério da Saúde, a formulação do edital para substituição dos médicos cubanos será finalizada ainda nesta sexta, durante reunião com a Organização Pan-Americana de Saúde (Opas).

O Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) informou ter sido avisado pela embaixada de Cuba que os médicos do país deixarão o Brasil até o fim do ano.

De acordo com a Confederação Nacional dos Municípios (CNM), a saída de cubanos do Mais Médicos afetará 28 milhões de pessoas.

O programa
Pelas regras do Mais Médicos, os médicos brasileiros e estrangeiros formados no Brasil têm prioridade para ingressarem no programa. Depois, são convocados médicos formados fora do Brasil que tenham revalidado o diploma no país, com o exame chamado Revalida.

Na sequência, são chamados médicos brasileiros formados no exterior que não realizaram o Revalida. Depois, a regra prevê que sejam convidados médicos estrangeiros formados no exterior e sem diploma revalidado no Brasil.

Só após todos esses é que governo brasileiro oferecia as vagas aos médicos cubanos.

Cuba enviava profissionais ao Brasil desde 2013. No Mais Médicos, pouco mais da metade dos profissionais – 8,47 mil dos mais de 16 mil profissionais – vieram de Cuba, segundo dados obtidos pelo G1.

Em 2013, segundo balanço do governo federal, apenas 11% das vagas oferecidas no primeiro edital foram preenchidas por médicos brasileiros.
Patrick Nogueira foi considerado culpado pelo homicídio e esquartejamento de tios e primos no município de Pioz em 2016

Carolina Vilela, do R7* com agências internacionais

O brasileiro Patrick Nogueira, 22, acusado de matar e esquartejar família em 2016 na Espanha, recebeu pena de prisão perpétua nesta quinta-feira (15). As informações são do jornal El País.

De acordo com o jornal, está é a quinta vez que a sentença de prisão perpétua é imposta no país. 

Patrick foi declarado culpado por todos os nove membros do júri popular do Tribunal Provincial de Guadalajara no dia 3 de novembro e estava aguardando a condenação que receberia da juíza responsável pelo caso. 

Segundo o El País, o júri considerou provado que, no dia 17 de agosto de 2016, Nogueira foi até a casa onde moravam seus tios e seus primos e assassinou a família.

De acordo com a publicação, a primeira vítima do brasileiro foi sua tia, depois seus primos e por último, o tio. 
Patrick Nogueira foi considerado culpado pelo juri

Foto: Reprodução/RTVE
quinta-feira, 15 de novembro de 2018
Mais Médicos: Jair Bolsonaro foi cirúrgico

por Jorge Aragão

O presidente eleito Jair Bolsonaro foi preciso, eu diria mais, foi cirúrgico e justo ao tratar sobre o Programa Mais Médicos.

Depois da decisão, unilateral, do governo de Cuba de sair do Programa Mais Médicos, após algumas declarações do presidente eleito Jair Bolsonaro, entre elas de exigir o Revalida para os médicos cubanos, acabou gerando uma enorme polêmica nesta quarta-feira (14).
Bolsonaro exigia apenas, o que é justo e correto, que os médicos cubanos, assim como qualquer médico, inclusive brasileiros, que formados no exterior se submetessem ao Revalida, que atualmente, equivocadamente, não é exigido para o Programa Mais Médicos.

O presidente eleito, apesar da decisão de Cuba, assegurou a continuação do programa e lembrou que a relação existente fomentava o trabalho escravo, pois os médicos cubanos trabalhavam fora do seu país, longe de seus familiares e só ficavam com 30% dos seus salários, o restante com o governo cubano.

Bolsonaro assegurou asilo para os médicos cubanos que quiserem voltar ao Brasil para permanecer no Programa Mais Médicos, desde que aceitem realizar o Revalida. Esses profissionais passariam a receber o salário integral pelo que efetivamente trabalharam.

O Ministério da Saúde irá abrir Edital para fazer as substituições, preferencialmente por médicos brasileiros e depois por médicos estrangeiros.

Foi inegavelmente cirúrgico e justo.
quarta-feira, 14 de novembro de 2018
Lembram do caso Coroatá, que tornou inelegível o governador Flávio Dino ??? Pois é, depois da decisão em primeira instância, o processo agora chegou ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão.

Para quem não lembra, em agosto deste ano a juiza Anelise Nogueira Reginato, da 8ª Zona Eleitoral de Coroatá, decidiu declarar inelegíveis (até 2024), por abuso de poder político nas eleições de 2016 na cidade de Coroatá, o governador Flávio Dino, o secretário de Articulação Política, Márcio Jerry, o prefeito Luiz Mendes Ferreira Filho e o vice-prefeito Domingos Alberto Alves de Souza. Sendo que os dois últimos ainda tiveram os diplomas cassados.

Só que agora o caso deixou a primeira instância, que ratificou o posicionamento, mesmo após recurso das partes, e chegou ao TRE-MA. Na corte eleitoral o relator do processo já foi designado e será o juiz eleitoral Júlio Prazeres.

O processo foi encaminhado para o Ministério Público Eleitoral para emitir o seu parecer e posteriormente deverá ser apreciado pelos juízes do TRE-MA. Do blogue do Jorge Aragão
Defesa de Lula quer que ação envolvendo sítio de Atibaia seja redistribuída para São Paulo — Foto: Nelson Almeida/AFP e Reprodução/TV Globo

Audiência é sobre processo que apura reformas feitas em sítio de Atibaia.
Lula é interrogado em processo da Lava Jato que apura reformas feitas em sítio de Atibaia
Audiência está marcada para as 14h desta quarta-feira (14), em Curitiba. Juíza Gabriela Hardt é a responsável pelos interrogatórios, desde a saída de Sérgio Moro.
Por Thais Kaniak, G1 PR — Curitiba

O ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva (PT) será interrogado, em Curitiba, nesta quarta-feira (14). A audiência – referente a um processo da Operação Lava Jato – está marcada para as 14h, no prédio da Justiça Federal.

Esta será a primeira vez que o ex-presidente deixará a Superintendência da Polícia Federal (PF), onde está preso desde abril.

A oitiva será conduzida pela juíza federal Gabriela Hardt. Lula é réu nesta ação penal. Ele responde pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Conforme o Ministério Público Federal (MPF), o ex-presidente recebeu propina de empresas como a OAS e a Odebrecht por meio da reforma e decoração no sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), que frequentava com a família. Outras 12 pessoas são rés neste processo.

Moro aceita denúncia contra Lula e outros 12 por caso envolvendo sítio em Atibaia
Os valores foram repassados ao ex-presidente em reformas realizadas no sítio, de acordo com os procuradores do MPF. Segundo a denúncia, as melhorias no imóvel totalizaram R$ 1,02 milhão.

Lula nega as acusações e afirma não ser o dono do imóvel, que está no nome de sócios de um dos filhos do ex-presidente.

O empresário Fernando Bittar, um dos donos do sítio, responde por lavagem de dinheiro. Interrogado pela Justiça, na segunda-feira (12), Bittar disse que achava que Lula faria o pagamento das obras na propriedade.

O pecuarista José Carlos Bumlai, que é amigo de Lula e réu por lavagem de dinheiro nesta ação penal, também será interrogado nesta quarta-feira.

Juíza substituta
Os interrogatórios, que começaram na semana passada, estão sendo comandados pela juíza federal Gabriela Hardt, substituta na 13ª Vara da Justiça Federal de Curitiba.
Gabriela Hardt assume temporariamente os processos da Lava Jato — Foto: Reprodução
Sérgio Moro era o juiz federal responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, porém, ao aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para ser ministro da Justiça, se afastou do cargo.

Em 5 de novembro, Moro comunicou que tiraria férias por 17 dias e que pedirá exoneração perto da posse, ou seja, no início de janeiro.

Gabriela Hardt começou a trabalhar com Moro em 2014 e, desde então, já o substitutiu em audiências.

Seleção do novo juiz
A seleção do novo juiz é de responsabilidade do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4).

Com a saída de Moro, o TRF-4 deve abrir um processo informando que há uma vaga aberta. Quem pode participar são os juízes federais da região sul do Brasil. Entre os interessados, assume o juiz que tiver o maior tempo de magistratura.
Sérgio Moro, ao lado de Paulo Guedes, deixando a casa de Jair Bolsonaro, no Rio, quando aceitou o convite para ser ministro da Justiça — Foto: Henrique Coelho/G1

Lula preso
O petista está preso uma uma sala especial na PF, na capital paranaense.

Lula cumpre pena de 12 anos e 1 mês de prisão pela condenação no caso do triplex em Guarujá (SP). Ele foi condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
Lula quando foi preso, em 7 de abril deste ano — Foto: Ricardo Moraes/Reuters 
terça-feira, 13 de novembro de 2018
O ministro Luis Roberto Barroso durante sessão extraordinária no Tribunal Tribunal Superior Eleitoral — Foto: Fátima Meira/Futura Press/Estadão Conteúdo
Justiça Eleitoral - Relatório de técnicos do tribunal faz 23 questionamentos e aponta suspeita de irregularidades envolvendo gastos e doações.
Barroso dá 3 dias para Bolsonaro esclarecer 'inconsistências' em contas da campanha
Técnicos do TSE apontaram 23 supostas inconsistências nas contas da campanha eleitoral do presidente eleito. Entre os gastos sob suspeita estão despesas com advogados e gráficas.
Por Mariana Oliveira e Rosanne D'Agostino, TV Globo e G1 — Brasília
O ministro Luís Roberto Barroso, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), intimou nesta terça-feira (13) a campanha do presidente eleito, Jair Bolsonaro, a prestar esclarecimentos, em até três dias, sobre 23 "inconsistências" na prestação de contas do presidente eleito apresentada na última sexta (9).

As supostas irregularidades foram apontadas por técnicos da Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias (Asepa) do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Relator no TSE das contas de campanha, Barroso terá que submeter o procedimento a julgamento no plenário do tribunal eleitoral. Ainda não há data marcada para a Corte analisar o caso.

A diplomação de Bolsonaro está marcada para o dia 10 de dezembro. Para receber o diploma, os candidatos eleitos precisam estar com o registro de candidatura deferido e as contas de campanha julgadas – não necessariamente aprovadas.

Os técnicos do TSE apontaram 23 "inconsistências" que envolvem indícios de impropriedade (erro formal ou dados inexatos) e indícios de irregularidade (suspeitas na prestação), além da falta de documentos e pediram que a campanha enviasse mais documentos, como contratos e comprovações de serviços e gastos.

Barroso considerou "pertinentes" os pedidos e notificou a campanha a apresentar os esclarecimentos.

"São pertinentes as diligências propostas pela Assessoria de Exame de Contas Eleitorais e Partidárias . Diante do exposto, determino a intimação do candidato Jair Messias Bolsonaro, [...] para, no prazo de 3 (três) dias, complementar dados e documentação e/ou prestar esclarecimentos / justificativas, com vistas ao saneamento dos apontamentos", diz trecho da decisão.

Prestação de contas
Segundo o extrato final da prestação de contas, a campanha de Bolsonaro arrecadou R$ 4.377.640,36. Foram gastos R$ 2.812.442,38, dos quais R$ 2.456.215,93 foram efetivamente pagos.

As sobras de campanha somam R$ 1.565.197,98 - Bolsonaro afirmou nesta semana que irá doar as sobras para a Santa Casa de Misericórida de Juiz de Fora (MG), onde foi atendido após ser esfaqueado em 6 de setembro.

Veja um resumo dos 23 questionamentos apontados por técnicos do TSE nas contas de Bolsonaro:

Despesas com mídias digitais com empresa Adstream - R$ 6.260,00 - pedem números de notas fiscais;
Despesas com serviços advocatícios com empresa Kufa Sociedade de Advogados - R$ 50.000,00 - pedem detalhamento dos serviços prestados, relação dos processos em que escritório atuou, relação de todos os advogados que atuaram;
Despesas com serviços contábeis não foram declaradas, mas aparece como serviço do escritório de advocacia - pedem dados sobre serviços contábeis prestados, identificação dos contadores;
Despesas com material impresso com quatro empresas - R$ 71.000,00 - pedem amostras dos materiais produzidos, como adesivos, paineis e bótons e também informações sobre se essas empresas subcontrataram outras empresas.
Devolução de receitas - R$ 95.000,00 - Campanha avisa que devolveu R$ 95 mil em doações para quatro pessoas físicas e técnicos dizem que, como não há previsão para devolução de doações legais, qual motivo de o candidato se recusar a receber os valores;
Financiamento coletivo com empresa sem registro - R$ 3,5 milhões - técnicos afirmam que a empresa AM4 não tinha cadastro para prestar serviços de arrecadação por meio do financiamento coletivo e pedem também detalhamento sobre as empresas Aixmobil e Ingresso Total, que também atuaram com arrecadação por meio de financiamento coletivo, as "vaquinhas";
Descumprimento de prazo para entrega de relatório com receita de R$ 1,566.812,00;
Indício de irregularidade no recebimento de doações do fontes proibidas, permissionários - R$ 5.200,00 - técnicos apontam que lei proibido recebimento de recursos de quem tem atividade decorrente de permissão pública;
Indício de irregularidade no recebimento de recursos com origem não identificada - R$ 100;
Indício de irregularidade de doações recebidas com divergência na identificação dos doadores - R$ 5.030,00 - divergências de dados informados dos doadores com base de dados da Receita (Nome do doador não bate com o CPF cadastrado na Receita);
Indício de impropriedade na divergência de informações de doações indiretas - R$ 345.000,00 - técnicos informam que repasse da campanha de Eduardo Bolsonaro para o pai;
Indício de irregularidade com ausência de gastos eleitorais na prestação de contas parcial 0 R$ 147.727,02 - gastos que não foram prestadas dentro do prazo correto;
Indício de irregularidade na omissão de despesas - R$ 147.948,81 - técnicos dizem que cruzamento de dados mostrou que fornecedores informaram gastos omitidos pela campanha;
Indício de irregularidade com divergência de informações em doações - R$ 3.796,86 - doadores informaram maiores valores em relação ao declarado pelo candidato;
Indício de irregularidade - R$ 20.958,16 - técnicos apontam omissão de doações no cruzamento de informações com outros prestadores;
Indício de irregularidade com dinheiro de sobra de campanha transferido a outro partido - R$ 10.000,00 - técnicos apontam repassem ao PRTB, quando lei só permite que tivesse sido repassado ao próprio PSL;
Indício de irregularidade com falta de documentos de comprovação de doações estimáveis (destinação de espaços ou trabalho) - R$ 6.913,60 - falta de documentação de espaço cedido ou outros serviços doados;
Indício de irregularidade em doações estimáveis que não constavam na prestação parcial - R$ 24.916,83 - técnicos apontam que os valores não foram lançados no devido tempo, como prevê resolução;
Indício de irregularidade em doações estimaveis que não constavam na prestação parcial - R$ 2.511,54 - técnicos apontam que medida frustra transparência e fiscalização;
Indício de impropriedade - divergência na data de abertura de contas bancárias;
Ausência de recibo eleitoral em arrecadação de recursos estimáveis (trabalho voluntário e outros);
Falta de documentação nas despesas, como contratos e relatórios de serviços prestados por várias empresas;
Indício de irregularidade no recebimento indireto de recursos - R$ 100 - doação não identificada por meio de vaquinha virtual recebida por meio do partido e que deveria ter sido recolhida ao Tesouro.
Enfermeira que atropelou e matou cão em São Luís é multada em quase R$ 25 mil
Ana Giselly Atan foi condenada a pagar multa de quase R$ 25 mil reais, que será destinada ao Hospital Veterinário Universitário da Uema e a instituição filantrópica.
A enfermeira Ana Giselly Atan, acusada de atropelar em agosto deste ano dois cães em São Luís, foi condenada pela Justiça do Maranhão a pagar uma multa de R$ 20 mil pela morte da cadela Duquesa e as lesões causadas ao cão Pepe. A audiência foi realizada na nesta segunda-feira (12) na capital.
De acordo com a decisão, o valor será destinado ao Hospital Veterinário Universitário da Universidade Estadual do Maranhão (Uema). Além da quantia, a enfermeira deverá pagar outra multa no valor de cinco salários-mínimos que serão revertidos para uma instituição filantrópica, que ainda será definida. A audiência teve a participação do promotor do Ministério Público do Maranhão (MPMA), Fernando Barreto.
Entenda o caso
O caso aconteceu em 14 de agosto no bairro Residencial Pinheiros, na capital. Imagens da câmera de segurança de uma residência mostraram o momento em que Ana Giselly atropelou os dois cães da raça pastor alemão. O vídeo mostra o carro de Ana Giselly acelerando e passando por cima dos cães Duquesa e Pepe. Os cachorros sofreram inúmeros ferimentos e somente Pepe conseguiu sobreviver.
Após o atropelamento, a Ana Giselly foi afastada do cargo de enfermeira na Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (EMSERH). Em seguida, ela se manifestou por meio de nota e afirmou que não tinha intenção de atropelar os dois cães e disse que o ato não passou de “um infeliz acidente e que está trazendo a ela e sua família um profundo abalo e que jamais havia maltratado qualquer animal”.
Em depoimento na Delegacia Especial do Meio Ambiente (Dema), Ana Giselly Atan disse que não queria atropelar os cachorros e sim afastá lós das pessoas que estavam na rua. Após ter prestado depoimento, ela foi liberada e respondeu o processo em liberdade.
A dona dos dois cães, a professora universitária Leila Cristina Oliveira estava concluindo seu doutorado na Bahia, quando soube do atropelamento dos cães. Segundo a professora, os cachorros estavam na rua após uma tentativa de invasão da sua residência. Após o arrombamento, o portão da casa ficou danificado e os cães acabaram indo para a rua.
Com informações do G1 Maranhão
Foi oficialmente instalada nesta semana a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá investigar obras da Construtora Cyrela no Maranhão.

Proposta pelo deputado Zé Inácio (PT), a comissão deve focar no descumprimento a direitos dos consumidores maranhenses.

“A abertura da CPI é um clamor da população que nos buscou na Assembleia, após várias ações judiciais já tramitarem para reparar os danos sofridos, mas precisamos aprofundar essa investigação sobre a Cyrela que tem descumprindo os direitos dos consumidores”, destacou o petista.

A CPI da Cyrela terá prazo de 120 dias para proceder às investigações.

Um dos casos que deve passar pelo crivo dos parlamentares é do condomínio Jardins, próximo ao Cohafuma. Entregue como construção de alto padrão, vários dos imóveis precisarão ser evacuados após ameaça de desabamento por causa de um vazamento de gás (saiba mais).
O deputado federal Sarney Filho (PV-MA) foi anunciado nesta terça-feira (13) como futuro secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal, na gestão do governador eleito Ibaneis Rocha (MDB).

Sarney se reuniu com o governador e o vice eleitos na Câmara dos Deputados. A indicação dele como secretário foi confirmada pela assessoria de Ibaneis.

O político, filho do ex-presidente da República José Sarney, tem cadeira na Câmara Federal desde 1983. Ao todo, foram nove mandatos consecutivos por diversos partidos. Nas eleições deste ano, foi candidato ao Senado pelo Maranhão, mas não se elegeu.
Candidaturas indeferidas pela Justiça Eleitoral nas eleições de 2018 terão que devolver o valor recebido de verbas públicas para a campanha eleitoral. De acordo com a prestações de contas entregues à Justiça, os candidatos impedidos gastaram R$ 530.322,91 no Maranhão.

Segundo levantamento do Blog do Clodoaldo Corrêa, dos 76 candidatos a deputado estadual ou federal com candidaturas indeferidas, 18 receberam recursos do Fundo de campanha e terão que devolver. Alguns destes ainda tentam reverter a inelegibilidade em instâncias superiores e logicamente se conseguirem não precisarão devolver os valores.

A candidata indeferida que recebeu mais recursos públicos foi Rosângela Curado, que recebeu R$ 150 mil do Patriotas e um pequeno valor de doações de pessoas físicas. Rosângela gastou exatos R$ 150 mil na campanha. O maior gasto foi com prestadores de serviço da campanha.

Ricardo Murad gastou R$34.989,80, sendo a maioria do recurso com combustível (R$ 14.196,00) e com seus bonecos gigantes (R$ 9 mil). Do total de R$ 41 mil de recurso arrecadado para a campanha de Murad, R$ 35 mil foram recursos públicos do fundo de campanha do PRP e terão que ser devolvidos.

Enquanto a chiadeira foi grande no PSDB por causa de recurso do fundo de campanha, Roberto Rocha abriu a mão para candidato que foi barrado na Justiça Eleitoral por ter condenações criminais, sem condição de elegibilidade. O ex-prefeito de Esperantinópolis, Dr. Raimundinho, recebeu R$ 102.250,00 do recurso do PSDB e gastou praticamente tudo com material de publicidade, enquanto a maioria dos candidatos tucanos ficou chorando por um santinho.

Do total de R$283.469,34 arrecadados na campanha do deputado Hemetério Weba, R$ 100 mil foram oriundos do Fundo Nacional do PP. Seu maior gasto foi com combustível (R$92.085,55), seguido de material de publicidade (R$58.244,50). Hemetério segue tentando reverter o indeferimento da candidatura no TSE. Caso não consiga, terá que devolver os R$ 100 mil.

A maioria dos candidatos indeferidos com valores recebidos é do PT. Como o partido distribuiu valores menores (em média de R$ 1.500,00) para mais candidatos, todos os indeferidos do partido têm recursos para devolver: cinco estaduais e três federais.
O Ministério Público Eleitoral (MPE) estuda como reaver estes recursos.
Aprovado nesta segunda-feira (12), o Projeto de Lei n° 192/2018 – de autoria do deputado Eduardo Braide – que cria diretrizes para o Plano de Atenção Educacional Especializado – PAE, voltado para alunos da rede estadual – de básica a superior – identificados com transtornos específicos de aprendizagem.

“O nosso projeto visa atender os alunos identificados com dislexia (dificuldade de leitura), dislalia (dificuldade na articulação as palavras), disgrafia (deficiência na habilidade de escrever) e discalculia (dificuldade em realizar cálculos matemáticos), enfim, transtornos específicos de aprendizagem. Esses transtornos são disfunções neurológicas específicas e permanentes, que dificultam o aprendizado e necessitam de técnicas para a compreensão dos conteúdos escolares. O PL de nossa autoria vai contribuir de forma eficaz e significativa no aprendizado dos alunos de toda a nossa rede estadual”, argumentou Eduardo Braide.

O Projeto de Lei n° 192/2018, prevê, dentre outras diretrizes, avaliação diagnóstica, atendimento educacional especializado e acesso a recursos didáticos adequados ao seu desenvolvimento, a exemplo do uso de computador com uso de corretor ortográfico; realização de provas orais; acesso a calculadoras, tabelas, fórmulas ou dicionários; auxílio de leitores externos quando necessário; tempo adicional para a realização de provas. Os critérios só serão válidos mediante a apresentação de laudos que comprovem as necessidades especiais educacionais.

“É preciso assegurar o aprendizado a todos os estudantes. Por isso mesmo que o PL 192/2018 prevê diretrizes para que o Poder Público organize seminários, simpósios, cursos e atividades pedagógicas, visando a formação continuada aos professores. Assim, de forma mais precoce, eles poderão identificar as necessidades dos alunos com possíveis transtornos, oferecendo um melhor atendimento dentro e fora das salas de aula”, explicou Braide.

Aprovado por unanimidade, o Projeto de Lei n° 192/2018, de autoria do deputado Eduardo Braide, segue para a sanção do governador do Estado.
O teto e parte das paredes da Escola Municipal Frei Antônio Sinibaldi, situada na periferia do município de Bom Jardim, desabou no fim da tarde de segunda-feira (12). O desabamento aconteceu entre a saída dos estudantes do turno vespertino e a entrada dos alunos do horário noturno.

Segundo os moradores que residem próximo da escola, apesar do susto ninguém saiu ferido, pois não havia nenhuma pessoa no prédio. Eles acrescentam que várias denúncias já foram feitas sobre a situação da escola, mas até o momento nenhuma providência foi tomada.

Os moradores de Bom Jardim afirmam também que a escola passou por uma reforma recentemente e já nos primeiros meses após a reforma já apresentava problemas de estrutura, principalmente, no teto.

O Sindicato dos Professores do Município de Bom Jardim diz que pretende acionar o Ministério Público contra a Prefeitura, já que é uma escola municipal e, segundo o Sindicato, a Prefeitura é quem deveria ter tomado as providências para que o acidente não tivesse ocorrido.

A Prefeitura de Bom Jardim ainda não se manifestou para informar onde os alunos concluirão o ano letivo, já que a escola não poderá desenvolver as suas atividades.
segunda-feira, 12 de novembro de 2018
A Polícia Rodoviária Federal (PRF), em uma operação realizada nesta segunda-feira (12), apreendeu 88 veículos que foram roubados no Maranhão.

A operação que contou com a parceria da Polícia Civil da Bahia registrou ainda 39 roubos na região baiana, o que contabilizou 127 ocorrências nos dois estados do Nordeste.

Segundo o superintendente da Polícia Rodoviária Federal do Maranhão, Paulo Moreno, a prática criminosa no estado acontecia principalmente na região da Baixada e nos Lençóis Maranhenses. “Esta prática foi mais relevante nas áreas da Baixada e Lençóis”, revelou.

O superintendente acrescentou que os veículos roubados vem, em sua maioria, da Bahia, Minas, Pará e Goiânia, e que no Maranhão o município que teve o maior número de roubo contabilizado foi Barreirinhas.

“Os carros roubados vem dos estados da Bahia, Minas, Pará e Goiânia; aqui no estado a cidade de Barreirinhas foi a que teve mais ocorrências. Lá foram 11 carros roubados”.

O inspetor da PRF, Antônio Noberto, disse que grande parte dos veículos roubados no Maranhão são clonados no próprio estado.

“Muitos veículos são roubados do MA e clonados com placas do MA. Acontece no próprio estado, mas a maioria vem de fora”, contou.

Noberto ressalta que o proprietário do carro que foi vítima do crime pode recuperar o automóvel na sede da Polícia Rodoviária Federal.

“Para pessoa reaver o veículo, a PRF vai divulgar uma tabela com a narrativa de todas as ocorrências na sede do PRF. No site do PRF também estará esta relação”, finalizou.

Com informações do G1 Maranhão

Rádio Timbira

banner: radio timbira

Facebook

Contato

Whatsapp: 98-988916524

E-mail: folhadomunicipio@hotmail.com

Blogroll