Argentina vai entrar em quarentena total a partir de meia-noite...
Avanço do coronavírus - Brasil tem 7 mortos e mais locais onde não é mais possível rastrear contágios...
Nessas áreas onde há transmissão comunitária da Covid-19, paciente com sintomas que buscar atendimento receberá máscara e será isolado.
Já são sete mortes confirmadas em decorrência da Covid-19. Todos tinham mais de 60 anos...
Por Da redação
O Ministério da Saúde atualizou, nesta quinta-feira, 19, para 621 o número de infectados pelo coronavírus (Covid-19) no Brasil.

No novo balanço, também subiu o número de estados com transmissão comunitária, quando não há a possibilidade de saber a origem da contaminação. Segundo a pasta, já são seis regiões com essa modalidade de contágio: São Paulo (estado), Rio de Janeiro (capital), Santa Catarina (sul do estado), Rio Grande do Sul (capital), Minas Gerais (capital) e Pernambuco (estado).

O total de mortos chegou a sete, com óbitos nos estados de São Paulo e do Rio de Janeiro. Todas as vítimas tinham mais de 60 anos e se enquadravam no chamado grupo de risco.

Segundo o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, os números mostram que o crescimento não está ocorrendo de forma localizada, mas no conjunto do país. “Nós estamos no pé da montanha e agora vamos começar a subir”, disse.

Com isso, continuou o ministro, o papel dos cidadãos ganha importância nas medidas de prevenção, como higienização, e de contenção, como o isolamento. Isso porque a preocupação é com a sobrecarga do sistema de saúde.

“Quando está gripado, precisa fazer isolamento domiciliar. Está com sintoma, isolamento domiciliar. Não é para descer para o play, fazer uma festinha”, aconselhou.

Fechamento da fronteira
Diante do avanço do surto do Covid-19, o governo federal fechou as fronteiras terrestres com a Argentina, Bolívia, Colômbia, Guiana Francesa, Guiana, Paraguai, Peru e Suriname. A fronteira com a Venezuela já está fechada.

A portaria foi assinada por Sergio Moro, ministro da Justiça, Luiz Henrique Mandetta, da Saúde, e Braga Netto, da Casa Civil. Há a expectativa de que viagens aéreas também sejam interrompidas em breve.

Casos aumentam até junho
O ministro da Saúde afirmou que os números vão aumentar exponencialmente até o fim de junho. “Estamos imaginando que vamos trabalhar com espirais ascendentes entre abril, maio e junho. Passaremos de 60 a 90 dias de muito estresse e teremos sobrecarga”, disse Mandetta.

Segundo as estimativas, em julho os casos deverão entrar em recessão e em agosto e setembro o cenário deverá estar voltando a patamares menores. “Desde que a gente construa a chamada imunidade em mais de 50% das pessoas”, afirmou.

Medidas econômicas
O ministro da Economia, Paulo Guedes, anunciou uma série de medidas de ajuda para reduzir o impacto na economia que será causado pelo Covid-19.

Estão sendo preparados uma bolsa para profissional autônomo, no valor de R$ 200, além da garantia de pagamento a trabalhadores que tiverem a jornada de trabalho reduzida.

Ações nos estados
Diversos estados estão adotando medidas para frear o avanço do coronavírus. O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), recomendou fechar os shoppings center e academias da região metropolitana. Além disso, as aulas nas escolas públicas e privadas também estão sendo suspensas. 

Já o Rio de Janeiro decretou situação de emergência e determinou, entre outras medidas, a suspensão por 15 dias a circulação de linhas de ônibus interestaduais com origem em estados que estejam com o contágio comunitário do vírus confirmado ou com a situação de emergência decretada, como é o caso de São Paulo.