Paciente, um homem de 41 anos que viajou à Espanha, está em isolamento no Hospital Emílio Ribas, na Zona Oeste da capital. Esse é o primeiro caso confirmado de varíola dos macacos no Brasil. 

Além desse caso confirmado, a prefeitura de São Paulo está analisando desde a última segunda-feira (6) um outro caso na cidade, de uma mulher de 26 anos. De acordo com o prefeito Ricardo Nunes (MDB), ela está internada e passa bem.

Em nota, a secretaria estadual da Saúde disse que "as amostras do caso ainda estão em análise pelo Instituto Adolfo Lutz" e que o paciente "teve início dos sintomas, como febre e mialgia [dor muscular], no dia 28 de maio".

A secretaria municipal da Saúde disse que ainda "aguarda o resultado do exame, pelo Governo do Estado, do segundo caso suspeito de varíola do macaco (monkeypox) na capital". A pasta destacou que "trata-se de um homem de 41 anos e que, segundo investigação preliminar, passou por Portugal e Espanha no mês de maio".

Além deste caso, a Prefeitura de São Paulo informou que monitora o estado de saúde de uma mulher de 26 anos, sem histórico de viagem ao exterior, hospitalizada com suspeita de ter contraído a doença. Segundo o prefeito Ricardo Nunes (MDB), a paciente passa bem. Familiares e pessoas próximas à ela também estão sendo acompanhados pela gestão municipal.

Em nota divulgada nesta quarta (8), o Ministério da Saúde informou que oito casos estão em investigação em todo o país. Segundo a pasta, Ceará, Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul e São Paulo têm um caso suspeito cada um, e há ainda dois casos em monitoramento em Rondônia e outros dois em Santa Catarina.

Neste domingo (5), a Organização Mundial da Saúde (OMS) informou ter confirmado 780 casos de varíola de macacos em todo o mundo. Os dados correspondem ao intervalo entre 13 de maio e 2 de junho e leva em conta apenas pacientes identificados em locais em que a doença não é endêmica. Segundo a entidade, não houve mortes relatadas.